Ilvy Njiokiktjien/ EFE
Ilvy Njiokiktjien/ EFE

Autorretrato de Van Gogh seria na verdade representação de seu irmão

Museu revela em estudo indícios que fazem crer que o quadro é um retrato de Theo Van Gogh

EFE,

22 Junho 2011 | 10h52

HOLANDA, La Haya - O Museu Van Gogh de Amsterdam comunicou nesta terça-feira, 21, que tem indícios de que um autorretrato de Vincent van Gogh representa na realidade a seu irmão Theo, o qual se pensava que o artista nunca havia retratado.

 

Se trata do conhecido autorretrato de Van Gogoh datado de 1887, em que o pintor aparece um pouco assimétrico, com um casaco azul e um chapéu amarelo.

 

Segundo o pesquisador Louis van Tilborgh, que dirige os estudos sobre o quadro, no retrato se observa que a barba é menos avermelhada que nos outros autorretratos de Van Gogh e está mais aparada do que ele costumava usar.

 

Ele também pensa se tratar de um retrato de Theo Van Gogh porque a orelha que se vê no quadro é muito mais redonda do que a do pintor, o que coincide com outras fotos de Theo, que se parecia muito com o irmão.

 

O retrato é parte de uma exposição aberta nesta terça do Museu Van Gogh, ao lado de outras 93 obras do artista pintadads em Amberes, na Bélgica, e em Paris, e que tem sido objeto de um estudo exaustivo para desvendar novos elementos da obra do pintor holandês, segundo revelou a organização em um comunicado.

 

A exposição estará em cartaz até setembro em Amsterdam e inclui ainda outras descobertas, como que o famoso quadro que representa duas botas desgastadas de um trabalhador oculta na verdade uma paisagem parisiana, o que confirmaria que Van Gogh o pintou quando vivia em Paris, entre 1886 e 1888, e não em Nuenen, na Holanda, como se acredita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.