Autora de romances policiais britânica P.D. James morre aos 94 anos

A escritora de romances policiais britânica P.D. James, criadora do detetive e poeta Adam Dalgliesh, morreu aos 94 anos, disseram seus editores nesta quinta-feira.

REUTERS

27 de novembro de 2014 | 17h22

“Todos sentiremos sua falta”, declarou Charles Elliott, seu editor na casa Knopf, em um comunicado. “Seus livros estavam em uma categoria própria, sempre divertidos e mesmo assim tão bem escritos e sérios quanto qualquer ficção de nossos tempos”.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, tuitou: “Entristecido de ouvir sobre a morte de P.D. James, uma das maiores escritoras de policiais da Grã-Bretanha, que empolgou e inspirou gerações de leitores”.

Phyllis Dorothy James, transformada em Baronesa James of Holland Park em 1991, escreveu 20 livros, a maioria dos quais foram filmados e televisionados na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.

Entre seus títulos mais famosos estão “Sala dos Homicídios”, “O Farol” e, mais recentemente, “Morte em Pemberley”.

Ela nasceu em Oxford em 1920 e era filha de um funcionário público, tendo ela mesma trabalhado em vários departamentos do governo, incluindo o departamento de ciência forense do Ministério do Interior.

Ela declarou em seu site que já na infância soube que queria ser romancista e que se voltou ao gênero policial porque tinha fascínio pela elaboração que estes livros exigem.

Ela acrescentou: “Depois que evoluí no meu ofício, passei a acreditar que é possível escrever dentro das convenções de uma história de detetive clássica e ainda ser vista como uma escritora séria e dizer algo verdadeiro sobre homens e mulheres e a sociedade em que vivem”.

(Por Stephen Addison)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEPDJAMESMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.