Autor de "O Mundo de Sofia" lança novo livro no Brasil

O ex-professor de Filosofia norueguês Jostein Gaarder não se acomodou com o sucesso de livros como O Mundo de Sofia. Tem enfrentado desafios, comotraduzir o conteúdo das Confissões de Santo Agostinho para adolescentes ou, no caso de A Garota das Laranjas (Companhia das Letras, 136 págs., R$ 27, tradução de Luiz Antônio de Araújo) , livro que lança hoje, em São Paulo, associar a paixão de um homem à investigação do cosmo pelo telescópio Hubble. Seu 14º livro é comovente. Narra a história de um adolescente de 15 anosque recebe uma carta de seu pai morto, extraviada 11 anos antes.Nela, ele conta como conheceu a garota de seus sonhos. Gaarder,que participa de vários encontros pelo Brasil este mês, falou ao Portal Estadão.com, por telefone, de Oslo, onde reside.Desde seu primeiro sucesso, O Mundo de Sofia, você escreve livros segundo o ponto de vista do adolescente. Porquê? Escrevo livros para jovens, mas são os adultos que mais lêem. Acredito que o mundo está precisando de boas histórias, sejam elas histórias infantis consumidas por adultos ou vice-versa. Estamos atrofiando nossa imaginação. Tento, portanto, me comunicar com os jovens, os mais prejudicados com o isolamento que a tecnologia impõe, afastando o adolescente da vida comunitária que produz essas boas histórias.É inusitado, mas A Garota das Laranjas está sendo recomendado por uma associação espírita estrangeira. Vocêacredita em vida após a morte? Não, mas gostaria de não estar certo. O fato é que adoro viver. É uma lástima que tenhamos de morrer. Tenho a mesma crença do pai morto de A Garota das Laranjas. A vida continua com nossos descendentes e é preciso orientá-los. É exatamente o que faz o pai, deixando uma carta para que o filho, ao crescer, possa entender sua mensagem. Nesse sentido, talvez o livro possaser lido como espírita, mas não deveria. É apenas uma obra sobre o diálogo.Simultaneamente ao livro A Garota das Laranjas, sua editora está relançando O Livro das Religiões. Você tem alguma crença pessoal? Na Índia ou no Irã, diria que sou cristão. Não necessito outra ética que não esteja na Bíblia. Jesus Cristo é muito importante para mim, mas se você me pergunta se eu acredito que ele seja o filho de Deus ou na sua ressurreição, direi que não. Como filósofo, tenho a obrigação de ser honesto. Digo, então, que acredito na vida.Jostein Gaarder no Brasil Bate-papo: Teatro do Colégio Santa Cruz. R. Oboró, 3024-5191. Hoje, 20h. Grátis (reservas pelo 3032-6856) Lançamento do livro A Garota das Laranjas, Cia. das Letras, 136págs., R$ 27 . Livraria Cultura/Shop. Villa-Lobos. Av. das Nações Unidas, 4.777, 3024-3599. Sábado, 16h Palestra em Passo Fundo. Universidade de Passo Fundo. BR 28, km171, Bairro São José, em Passo Fundo, (54) 316-8368. Grátis (vagas limitadas) Palestra em Brasília. Pátio Brasil Shopping. SCS, Quadra 7,Bloco A, (61) 2107-7400. Segunda (29), das 14h às 16h

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.