Austrália devolve à Espanha mapa-múndi de Ptolomeu roubado

Documento foi recuperado com um antiquário que o comprou pela internet sem saber de sua origem

EFE

04 Fevereiro 2008 | 02h59

O governo australiano devolveu nesta segunda-feira, 4, à Espanha o mapa-múndi de Ptolomeu que foi roubado da Biblioteca Nacional em Madri e depois recuperado pela Polícia de Sydney.   Anthony Byrne, chefe do gabinete do primeiro-ministro, Kevin Rudd, entregou a obra ao embaixador espanhol no país, Antonio Cosano, em um ato oficial na embaixada ao qual assistiram a diretora da Biblioteca Nacional, Milagros del Corral, e o cônsul espanhol em Sydney, Enrique Sarda.   O documento cartográfico, impresso em Ulm (Alemanha), faz parte de uma das duas peças subtraídas em agosto do ano passado da obra "Cartografia", um tesouro de 1482, e que finalmente foi recuperado pela Polícia australiana com um antiquário que o comprou pela internet sem saber que era roubado.   Byrne destacou durante a cerimônia que a Austrália "quer dar uma mensagem ao mundo de que roubar patrimônio cultural não será uma prática tolerada".   O embaixador agradeceu a Sardá seu trabalho na recuperação da obra, pois o cônsul se comprometeu desde o início com a investigação policial que finalmente levou à descoberta do mapa-múndi.   "Hoje, somos testemunhas do valor do direito internacional", indicou Cosano. A devolução foi realizada em cumprimento da Convenção da Unesco   de 1970 que impede a importação, exportação e transferência de propriedade ilícita de bens culturais, da qual tanto Espanha como Austrália são signatários.   Dois agentes do grupo especializado em patrimônio histórico da Unidade Central Operacional da Guarda Civil viajaram à Austrália e levarão o mapa à Espanha nos próximos dez dias, informaram fontes diplomáticas.

Mais conteúdo sobre:
Austrália Espanha Ptolomeo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.