August Strindberg é celebrado no ano de seu centenário

Em 2012, não faltaram oportunidades de se comprovar a potência da obra deixada pelo dramaturgo sueco August Strindberg. No ano que marca o centenário de morte do escritor, uma série de espetáculos recuperaram seus textos. Comprovaram a permanência de seus diagnósticos, a atualidade de suas reflexões sobre os enfrentamentos entre os sexos e as relações de dominação.

AE, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 11h05

A peça "Credores", que estreia nesta quarta-feira em versão de Nelson Baskerville, no Sesc Ipiranga, mereceu recentemente duas outras montagens: uma de Eduardo Tolentino e seu grupo Tapa. Outra de Elias Andreatto, protagonizada por Reynaldo Gianecchini.

Nos últimos meses, o público também pôde acompanhar "Júlia", recriação que a diretora Christiane Jatahy fez do clássico maior do autor: "Senhorita Júlia". Sem a preocupação de se ater ao original, Jatahy adaptou o enredo para a atualidade. Matizou a trama com elementos de discriminação racial. Valeu-se ainda de câmeras e procedimentos cinematográficos para aproximar a plateia da violência dos conflitos. O grupo Tapa também mostrou "A Noite das Tríbades", com Clara Carvalho e Norival Rizzo.

Para celebrar a efeméride, houve ainda um grande número de leituras cênicas que celebraram o centenário e podem, no futuro, render outras montagens. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

CREDORES

Sesc Ipiranga (Rua Bom Pastor, 822). Tel. (011) 3340-2000. 3ª a 5ª, às 21 h (feriados, às 18 h). R$ 16. Até 13/12.

Tudo o que sabemos sobre:
teatroCredoresAugust Strindberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.