Auditório no Ibirapuera começa a ser construído

Na próxima semana, começam a ser feitas as fundações do auditório do Ibirapuera, com projeto de Oscar Niemeyer, o grande nome da arquitetura brasileira que projetou o parque nos anos 50, para as comemorações do 4.º centenário da cidade. O auditório constava dos planos iniciais, mas à época não foi construído.Agora, a obra patrocianda pela empresa de telefonia Tim, recebeu forte oposição do Ministério Público Estadual (MPE), criticando a redução da área verde do Ibirapuera. A área de 4.870 metros quadrados onde ficará o auditório já foi cercada por tapumes, começou a ser construído ontem o canteiro de obras. À tarde, os operários davam os retoques finais nas colunas do alojamento. De acordo com a Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, algumas árvores que estavam no local foram transplantadas para pontos diferentes do parque. A Promotoria do Meio Ambiente entrou com ação contra o auditório. A última decisão, em dezembro, foi favorável à Prefeitura, mas ainda cabe recurso aos tribunais superiores em Brasília, O MPE não recorreu. Segundo a secretaria, não haverá redução de área verde e sim acréscimo. Isso porque uma área de 137 mil metros quadrados, que compreende o Monumento às Bandeiras e o Obelisco, será incorporada ao parque. A Avenida Pedro Álvares Cabral, que passa em frente do Ibirapuera, terá seu traçado modificado para passar atrás dos monumentos. "Vamos entregar o auditório à população em 30 de outubro. Ainda estamos correndo atrás de parceiros privados para conseguir fazer a incorporação, cujo custo está previsto em R$ 7 milhões", afirmou o secretário de Meio Ambiente, Adriano Diogo. A estudante de artes plásticas Amanda Tedesco, de 18 anos, é favorável à obra. "Cultura é sempre bem-vinda, ainda mais em uma cidade carente como São Paulo", afirmou Amanda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.