AUDIOVISUAL TEM MAIS RECURSOS

Cresceram 144%, de R$ 84 milhões (em 2011) para R$ 205 milhões, os recursos das quatro linhas de investimento do Fundo Setorial do Audiovisual, para produção, distribuição e comercialização de obras para cinema e TV (aberta e paga). O montante supera o investido nos três primeiros anos de convocatórias, cuja soma dá R$ 189,8 milhões.

O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2012 | 07h52

A linha B, voltada a projetos para TV, passou de R$ 20 milhões a R$ 55 milhões - uma forma de fortalecer a nova legislação que estabelece cota para a produção nacional na programação da TV fechada. A linha A, para viabilizar longas, é a mais rica: oferece R$ 90 milhões, sendo que R$ 40 milhões destinados a projetos que já captaram 40% do que precisam. Uma novidade é que, neste caso, as proposições podem ser mandadas o ano todo (antes, o envio dependia da abertura das convocatórias).

As informações eram muito aguardadas pelo setor, uma vez que o FSA se tornou o principal mecanismo de fomento do audiovisual brasileiro - permitiu que as empresas brasileiras mordessem 70% do mercado de filmes nacionais, antes em mãos estrangeiras.

Segundo a Agência Nacional do Cinema (Ancine), mais da metade do que chega às telas em português conta com dinheiro do FSA, que em parte faz o caminho de volta, já que o governo entra como investidor. Os recursos são oriundos da Contribuição Para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine), dada pelo setor, e do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações.

Tudo começa a valer segunda-feira que vem. O anúncio foi feito ontem pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e o presidente da Ancine, Manoel Rangel, e elogiado por produtores presentes. "Achei ótimo. O exercício das linhas vai melhorá-las", disse Augusto Casé, que já teve Cilada.com e E aí, Comeu? contemplados. / R.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.