Atualize seu vocabulário

NOVA YORK - A não ser que você só se comunique com seus semelhantes em grego antigo ou latim, já deve ter sido vítima da evolução semântica, um problema que pode criar embaraços sem fim. Não falo do duplo sentido nem do ato falho, mesmo porque, como bem lembrou Sigmund Freud, às vezes, um charuto é apenas um charuto. Vá tentar convencer o algoritmo do Google disso: quando busquei "charuto" apareceu logo um anúncio de remédio contra a impotência.

Lúcia Guimarães, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2012 | 03h08

Falo dos novos significados de palavras velhas e se engana quem pensa que se trata de uma evolução espontânea, um processo democrático, como gostariam os linguistas. A nossa conversa está cada vez mais contaminada de eufemismos e ambiguidades cunhados por grupos de interesses. O marquetês é o esperanto do nosso tempo mas não é o único responsável pela reciclagem de significados. Ofereço aqui um glossário modesto para quem há muito não passa o espanador no próprio vocabulário.

Algoritmo - O algoritmo é o Big Brother, a quiromante do século 21. A fórmula matemática onipresente, do Google ao Facebook, conhece os seus gostos, antecipa seus desejos e não toca em assuntos desagradáveis. E, ao contrário da Rosicleide, que cobrava R$ 100 por hora naquele sobrado da Lapa para fazer o mesmo, o algoritmo lhe acompanha de graça.

Grátis - É o trabalho que você faz para Mark Zuckerberg, Sergei Brin, Larry Page, Jeff Bezos e outros que, armados de algoritmos, vendem informação sobre seus momentos mais íntimos. Sugiro clicar "sair" de qualquer serviço de email ou rede social antes de comprar um vibrador.

Criador de empregos - Vítima potencial do socialista Barack Obama e sua insistência em usar o detestado arcaísmo fiscal "contribuinte", hoje sinônimo de "cidadão de classe média"; qualquer pessoa que ganhe mais de US$ 1 milhão por ano, não importa se seu único empregado é um equatoriano ilegal.

Ilegal - Volta a ser apenas adjetivo porque, usado como substantivo, é um estigma para os 12 milhões de imigrantes que estão fazendo faxina, cozinhando, lavando roupa e criando os filhos dos criadores de empregos.

Ilegal - O adjetivo passa por uma crise semântica e será tema de conferência "Foucault e Sarah Palin, um Vácuo de Continuidade", em Reykjavik. Exemplo: Ficar embriagado no Central Park é ilegal. Antônimo: legal. Exemplo: Comprar online 6 mil balas para sua metralhadora automática é legal.

Garçom nova-iorquino - Um futuro diretor de cinema ou ganhador de um Nobel de literatura, que está com problemas temporários de caixa. Um especialista em fazer você se sentir socialmente inferior por pensar que "redução" é um prato que ficou menor.

Mensalão - 1. Fabricação espúria da direita; 2. O maior escândalo de corrupção da história do Brasil.

Neurociência - Um novo gênero literário. Uma espécie de autoajuda depois de um banho de loja. Tudo o que você fez e virá a fazer pode ser explicado por alguma região do cérebro. Todos nós, se ativarmos o local certo do córtex, podemos nos tornar Mozarts ou Einsteins, é só assistir a uma palestra do Malcolm Gladwell. Ótima fonte de desculpas: por exemplo, se você for surpreendido na cama com a mulher do seu vizinho, pode dizer que foi parar lá levado por seu receptor de dopamina.

Querologista - Profissão inventada na Califórnia, onde mais? Profissional que cobra US$250 por hora para lhe dizer o que você quer. Esther James é uma querologista em San Jose, Califórnia.

Snoop Lion - neo-rastafariano, antes conhecido como o rapper Snoop Dogg, antes conhecido como Snoop Doggy Dogg, antes batizado como Calvin Cordozar Broadus Jr. Não confundir com Jorge Ben ou Cat Stevens.

Trumped - Verbo usado na voz passiva que logo terá tradução na nossa língua, na vizinhança de trumbicar. 1 Fazer negócio com Donald Trump. 2. A ruína arquitetônica resultante das construções de Donald Trump. 3 Morar numa área ecologicamente idílica que foi descoberta por Donald Trump. 4 Nome do novo filme do jornalista Anthony Baxter sobre o que aconteceu quando Donald Trump decidiu investir na Costa Leste da Escócia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.