Atualidade em filme de 1952, de De Santis

A pré-abertura do festival deu-se na terça à noite, com a sessão ao ar livre de Roma Ore 11, de Giuseppe de Santis. O quadro da arquitetura fantástica de Veneza no Campo San Polo, deu à sessão uma aura mágica. Na tela, o filme de 1952, em cópia restaurada, fala de acontecimento trágico da Itália do pós-guerra. Num quadro de depressão econômica, centenas de candidatas se apresentam a uma vaga de datilógrafa. Há tumulto, uma escadaria desaba, provocando mortes e feridos. Na plateia, apresentado a obra, a direção do festival e também a viúva de De Santis. Ela disse que o filme ganhava triste atualidade na Europa em crise, com tanta gente perdendo empregos e se desesperando do futuro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.