Atropelamento de Marcelo Fromer, dos Titãs, já tem duas testemunhas

Duas testemunhas do atropelamento do músico Marcelo Fromer, prestaram depoimento hoje, no 15.º Distrito Policial no Itaim Bibi. Seus nomes são Fábio Teixeira Lima, de 30 anos e Carla Regina Lopes Caldeira, de 32 anos. Em seu depoimento, Lima disse que saiu ontem do Museu da Imagem do Som por volta das 18h10 e seguiu a pé até um ponto de ônibus da Avenida Europa. Quando ouviu o barulho da pancada e viu que alguém tinha sido atropelado. O autor do atropelamento não parou a sua moto, chegou a se desequilibrar mas retomou o controle da moto e fugiu pela Rua Portugal. Lima não viu a placa da moto, mas acredita se tratar de um modelo Honda Bis ou Krypton, pelo tamanho mais baixo, e também pelo tamanho dos pneus. Ele só ouviu a pancada. Ao olhar para o local viu que o músico já estava caído. Lima pôde ver que o motoqueiro usava capacete escuro e um bluzão também escuro, com duas faixas verdes nas costas. Formou-se um grande tumulto em volta da vítima e foi grande número de motos que pararam no local. Ele acredita que o tumulto e a quantidade de motocicletas que se posicionaram em torno da vítima impediram que alguém saísse em perseguição ao motoqueiro. Em seu depoimento, Carla disse que trabalha na Wendler Blindagem, que fica na Avenida Europa. Ela disse que ouviu o barulho foi até a janela do primeiro andar e viu que tinha um aglomerado em frente da empresa. Ela foi até onde estavam as pessoas e ela pôde ver que o Marcelo Fromer estava muito machucado na cabeça e sangrava muito. Ela acredita que a vítima estivesse fazendo cooper ou caminhada pela roupa que ele estava vestindo, camiseta azul, short vermelho e tênis. A polícia espera que novas testemunhas do atropelamento apareçam para dar informações, já que o acidente aconteceu no horário de pico e em lugar movimentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.