Atriz negra vence pela primeira vez o Tony

Phylicia Rashad fez história no prêmio Tony, o Oscar do teatro americano, ao se tornar a primeira atriz negra a vencer o troféu na categoria principal, ontem à noite, em Nova York. "Freqüentemente em me perguntava o que seria necessário para que isso acontecesse", disse, em seu discurso de agradecimento. "Agora eu sei. É necessário determinação e graça".Phylicia levou o prêmio de melhor atriz dramática pelo papel de Lena Younger no revival de A Raisin in the Sun, de Lorraine Hansberry, em que contracenou com o astro do hip hop Sean Combs. A mesma peça, em 1960, deu a Claudia McNeil a primeira indicação do Tony a uma atriz negra, mas o troféu daquele ano acabou ficando com Anne Bancroft.Entre os atores dramáticos, a surpresa foi a Jefferson Mays, superando nomes conhecidos como Kevin Kline, Christopher Plummer e Frank Langella. Mays foi premiado por seu papel em I Am My Own Wife, que conta a história de um travesti alemão. A montagem também ficou com o prêmio de melhor peça.Entre os musicais, o grande vencedor foi Avenue Q. O espetáculo, que faz uso de recursos do teatro de bonecos, disputava seis troféus e levou três: melhor musical, livro e música original. Mas o espetáculo que levou mais prêmios foi Assassins, de Stephen Sondheim, que trata dos algozes de presidentes. Foram cinco cinco prêmios: melhor remake de musical, melhor ator (Michael Cerveris), direção, (Joe Mantello), iluminação e arranjo.Além de apresentar a cerimônia, ele ficou com o troféu de melhor ator de musicais por TheBoy From Oz. Em seu discurso, o astro de X-Men dedicou seu prêmio ao músico australiano Peter Allen, inspiração da montagem. "Peter, é uma honra interpretá-lo e dedico este prêmio a você." Allen morreu em 1992, vítima da aids.Confira a lista dos vencedores: Melhor peça: I Am My Own Wife Melhor musical: Avenue Q Melhor revival de peça: Henry IV Melhor revival de musical: Assassins Melhor ator de peça: Jefferson Mays, I Am My Own Wife Melhor atriz de peça: Phylicia Rashad, A Raisin in the Sun Melhor ator coadjuvante de peça: Brian F. O´Byrne, Frozen Melhor atriz coadjuvante de peça: Audra McDonald, A Raisin in the Sun Melhor ator de musical: Hugh Jackman, The Boy From Oz Melhor atriz de musical: Idina Menzel, Wicked Melhor ator coadjuvante de musical: Michael Cerveris, Assassins Melhor atriz coadjuvante de musical: Anika Noni Rose, Caroline Melhor direção de peça: Jack O´Brien, Henry IV Melhor direção de musical: Joe Mantello, Assassins

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.