Mario Anzuoni / Reuters
Mario Anzuoni / Reuters

Atriz Lori Loughlin e marido se declaram culpados de fraude em universidade nos EUA

Eles concordaram com as penas de dois e cinco meses, respectivamente, de prisão

Redação, Reuters

22 de maio de 2020 | 11h23

 A atriz de Três é Demais Lori Loughlin e seu marido concordaram em se declarar culpados de acusações nos Estados Unidos de conspirar para garantir de forma fraudulenta a entrada de suas filhas na Universidade do Sul da Califórnia, disseram promotores federais na quinta-feira, 21.

Lori Loughlin, de 55 anos, e seu marido, o estilista Mossimo Giannulli, de 56, concordaram com as penas de dois meses e cinco meses na prisão, respectivamente, em processo no tribunal federal de Boston.

Eles devem se declarar culpados na sexta-feira, 22, por conspiração para cometer fraude eletrônica ou por correio. Loughlin e Giannulli também concordaram em pagar multas de US$ 150 mil e 250 mil, respectivamente.

O promotor Andrew Lelling disse em comunicado que os acordos garantem que “esses réus cumpram pena de prisão, refletindo seus respectivos papéis em uma conspiração para corromper o processo de admissão nas faculdades”.

Os advogados deles se recusaram a comentar.

Loughlin e Giannulli estão entre as 53 pessoas acusadas de participar de um esquema em que pais ricos conspiraram com um consultor de admissões de faculdades da Califórnia usando suborno e fraude para garantir a admissão de seus filhos nas melhores escolas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.