Atriz e cantora Zezé Motta completa 70 anos

Frequentou a escolas de teatro do tablado e estreou em 1967 em um papel de 'Roda Viva', de Chico Buarque

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

27 Junho 2014 | 10h53

Premiada pela APCA, Associação Paulista dos Críticos de Arte, Neusa Borges comentou certa vez as limitazções que atingem atores afrodescendentes, mesmo num país mestiço como o Brasil. "Se na novela tem papel de negra chique, quem faz é Zezé Motta. Se é pobre, sou eu." Isso remete à cena de Xica da Silva, de Cacás Diegues, de 1976, em que a escrava alforriada avança para a câmera com a carta que representa sua liberdade na mão. Ao fundo, a trilha de Jorge Benjor - Xica dá/Xica dá/Silva, a negra.

Zezé Motta completa nesta sexta-feira, 27, 70 anos. Mãe, avó, cantora, atriz. Em seu livro de memórias, que será lançado em agosto, Cacá Diegues lembra que o início da filmagem de Xica da Silva estava chegando e ele ainda não tinha a atriz. No livro de Joaquim Felício dos Santos, ele descreve Xica como mulher sem atrativos, de nenhuma beleza, mas Cacá nunca acreditou nisso. Como, se fosse assim, ela teria seduzido o contratador de diamantes João Fernandes a ponto de ele fazer de Xica a rainha do arraial do Tijuco?

Foi Nelson Motta quem lembrou o diretor de uma atriz, cantora e dançarina que eles haviam visto numa montagem de Godspell, o musical. Cacá imediatamente deu-se conta de que sua busca havia terminado. Tinha a sua Xica, mas ainda foi preciso convencer o produtor Jarbas Barbosa. Não foi preciso esperar pelo sucesso nacional e internacional do filme para confirmar como Cacá estava certo. Maria José Motta de Oliveira nasceu em Campos dos Goytacazes em 27 de junho de 1944. Tinha dois anos quando a família se mudou para o Rio. Frequentou a escolas de teatro do tablado e estreou em 1967 - pouca gente se lembra - num papel de Roda Viva, de Chico Buarque. Fez depois Arena Canta Zumbi e outras peças, incluindo Godspell, em 1974.

Antes de Xica das Silva havia aparecido em Vai Trabalhar, Vagabundo, de Hugo Carvana. Depois fez Anjos das Noite, de Wilson Barros; Tieta do Agreste e Orfeu, de novo com Cacá. Atuou em novelas (Corpo a Corpo, A Próxima Vítima, Porto dos Milagres, Renascer). Em 1996, 20 anos depois de protagonizar o filme, fez a mãe de Xica no remake da novela.

Na música. A carreira de cantora começou em São Paulo, em 1971. Gravou três discos entre 1975 e 79, mais três nos anos 1980. Seguiu gravando pelas décadas seguintes - em 2011, foi o CD Negra Melodia. Não é só uma atriz completa, que canta, dança, faz humor e drama, tudo com alta competência. É cidadã e participa de discussões sobre a presença dos negros na dramaturgia e na sociedade brasileiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.