Imagem Luis Fernando Verissimo
Colunista
Luis Fernando Verissimo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Atrás do Queiroz

– Mort? Ed Mort? – Não – respondi. – Gianecchini. Reynaldo Gianecchini.

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2019 | 03h00

Mort. Ed Mort. Detetive particular. É o que se lê na porta do meu escri (o “tório” eu subloco) numa galeria de Copacabana. Divido meu espaço com dezessete baratas e um ratão albino. O ratão às vezes desaparece, mas sempre volta, por isso eu o chamo de Voltaire. Minhas frases são curtas como o cano do meu 38. O 38 está empenhado, mas ninguém saca um ticket de casa de penhores do bolso com a minha rapidez. Mort. Ed Mort.

A Patricia Pillar e eu estávamos tendo uma conversa agradável, sobre a lua e os ministros, como diria o Machado de Assis, quando o ruído de alguém abrindo a porta me acordou. Entrou um homem. Odeio quando isso acontece. Pelo penteado, alguém do governo. Terceiro escalão, mas com vista para o mar. Perguntou:

– Mort? Ed Mort?

– Não – respondi. – Gianecchini. Reynaldo Gianecchini.

– Mas na porta está escrito...

– É parte do meu disfarce. O que você quer, já que interrompeu minha sesta?

– Você ouviu falar no Queiroz?

– Queiroz o Desaparecido? Sim.

– Queremos que você o procure. Estamos dispostos a lhe pagar o que for preciso para procurar o Queiroz. Contrate quem você quiser. Busquem em toda parte. Armários, bueiros, canos, porões, matagais, o Brasil de ponta a ponta. Subam todos os morros. Queremos mostrar para a Nação que estamos empenhados em encontrar o Queiroz, e não em escondê-lo para que não conte tudo o que sabe, como dizem. 

– E o que fazemos com o Queiroz quando o encontrarmos? – perguntei, caprichando no pronome dada a solenidade do momento.

– Quem falou em encontrar? Queremos que procurem o Queiroz , e façam isso com bastante barulho, não que o encontrem. Pela sua reputação, ninguém é mais indicado para não encontrar o Queiroz do que você, Mort. A pátria precisa das suas trapalhadas.

Olhei em volta para ver se o Voltaire estava registrando aquilo. Trapalhadas, ahn? Decidi não só não aceitar o que me ofereciam em dólares para não encontrar o Queiroz como começar uma investigação séria sobre quem mandou matar Marielle, para saberem com quem estavam lidando. Assim que terminasse a sesta. 

Tudo o que sabemos sobre:
Fabrício José Carlos de Queiroz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Netflix divulga as 5 séries internacionais preferidas do público brasileiro
  • Projeta Brasil do Cinemark apresenta filmes brasileiros por apenas R$ 4
  • Glória Maria faz cirurgia para remover lesão cerebral e passa bem
  • ‘Sonic - O Filme’: Internautas aprovam ‘reforma’ do personagem; assista
  • Lollapalooza Brasil 2020: confira o line up por dia 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.