Atores de Hollywood criticam 'última oferta' de estúdios

Após analisar documento, sindicato afirma que ele não toca em questões importantes para os atores

Da BBC Brasil, BBC

01 de julho de 2008 | 09h42

Os produtores de cinema de Hollywood fizeram uma última oferta a atores em negociações sobre cachês, advertindo a categoria de que a indústria do entretenimento já está praticamente em greve.   Veja também: Hollywood inicia contagem regressiva para confronto trabalhistaHoras antes de os contratos atuais expirarem, a Alliance of Motion Picture and Television Producers (AMPTP), entidade que representa os produtores de filme e de TV nos Estados Unidos, ofereceu aos atores um acordo com validade de três anos. Segundo os produtores, a oferta está avaliada em mais de US$ 250 milhões e responde às preocupações dos atores com relação a ganhos com novas mídias. A Screen Actors Guild (SAG), o sindicato dos atores, disse que a oferta não parecia promissora. O diretor executivo e negociador-chefe da SAG, Doug Allen, disse que a organização estava analisando o documento, com 43 páginas, e divulgou uma declaração dizendo: "Esta oferta não parece tocar em questões chave importantes para os atores". Uma outra paralisação, logo após a greve de cem dias dos membros do sindicato dos roteiristas, Screen Writers Guild, que prejudicou produções de filme e de TV no início do ano, é algo que os chefes dos estúdios em Hollywood realmente não querem. A AMPTP divulgou a seguinte declaração: "Nossa indústria está hoje em uma greve de facto, com produções de filmes praticamente suspensas e produção de TV seriamente ameaçada". O grupo dos estúdios disse que a oferta, apresentada na segunda-feira, 30, à SAG, após 42 dias de negociações sobre um novo contrato de trabalho, era final. A AMPTP advertiu que as conseqüências de uma greve "seriam enormes", e que os 120 mil membros do sindicato podem perder US$ 2.5 milhões por dia em salários. A Screen Actors Guild, a guilda dos atores das telas, é o mais importante sindicato de atores de filme e TV nos Estados Unidos. Os dois lados concordaram em se encontrar novamente na quarta-feita para discutir a proposta. A SAG também está contestando um acordo feito entre os estúdios e um outro sindicato de atores - a American Federation of Television and Radio Artists (AFTRA). Segundo a SAG, o acordo enfraquece sua posição nas negociações.     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
Hollywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.