Atores de "Cidade Deus" registram queixa por racismo

Os atores cariocas Leandro Firmino da Hora, de 23 anos, Emerson Gomes Nascimento, de 13, e Luiz Carlos Lomenha do Nascimento, de 26, revelados no filme Cidade de Deus, foram hoje ao 11.º Distrito Policial de Santo Amaro, zona sul de São Paulo, registrar um boletim de ocorrência porconstrangimento ilegal e injúria. Os três dizem ter sido desrespeitados por um policial e alvo de preconceito racial.Os atores estão em São Paulo participando de palestras em escolas. Eles saíram do hotel onde estão hospedados para tomar café no hipermercado Carrefour. No estacionamento, pararam no caixa eletrônico do Banco do Brasil para sacar dinheiro. Ao saírem, foram abordados por umsegurança do hipermercado, reconhecido como Marcos. "Ele perguntou o que estava ocorrendo", contou Firmino, o Zé Pequeno do filme. Os garotos vestiam camiseta e bermuda e um deles usavachinelos.Em seguida, chegou um policial militar, nãoidentificado. Segundo o ator, o PM disse ter recebido denúncia de três pessoas arrombando e batendo no caixa eletrônico. "O PM pediu documentos e começou a anotar em um papel. Perguntei o que ele estava fazendo. Ele disse para eu ficar quieto, que se fosse fazer os procedimentos corretos ia nos deitar no chão e nosrevistar."Inconformado, Firmino diz ter contestado o PM. "Ele começou a nos ofender, falar mal do Rio, disse que quando está à paisana e é abordado se sente honrado. ´E olha que eu sou branco´", contou o ator. "Foi constrangedor. Todos têm de ser tratados com respeito, por isso, resolvemos fazer a ocorrência." A Assessoria de Imprensa do Carrefour informou que a segurança externa é terceirizada e nenhum funcionário participou doocorrido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.