Ator Steve Coogan compara tabloides britânicos à máfia

Celebridades temem represálias dos tabloides britânicos caso se queixem dos jornalistas em um inquérito governamental sobre o comportamento da imprensa, disse nesta terça-feira o ator e comediante Steve Coogan, acrescentando que os jornais agem como uma máfia.

KEITH WEIR, REUTERS

22 de novembro de 2011 | 17h57

Antes, um advogado do também ator Hugh Grant alertou que as intimidações dos jornais podem prejudicar o inquérito, encomendado pelo primeiro-ministro David Cameron depois da revelação de que o extinto News of the World espionou milhares de caixas postais telefônicas.

Coogan, conhecido na Grã-Bretanha por interpretar o atrapalhado apresentador de TV Alan Partridge, disse que perdeu a conta sobre o número de fofocas a seu respeito que já viu nos tabloides.

Ele desmentiu especificamente uma reportagem de 2007 do Daily Mail que o acusava de consumir drogas na companhia do ator norte-americano Owen Wilson. Coogan disse que, na época do episódio citado, fazia nove meses que ele e Wilson não pisavam no mesmo continente.

"Muitas outras celebridades, por quererem um mundo melhor, me disseram que concordam comigo e que gostariam de vir (depor no inquérito), mas não têm estômago para isso e têm medo do que irá acontecer."

Ele detalhou então as táticas dos tabloides, como fuçar no seu lixo e assediar parentes e amigos. "É como a máfia, é só um negócio", disse ele, ecoando um ataque lançado neste mês por um parlamentar contra o executivo James Murdoch, do conglomerado News Corp.

O News Corp, pertencente ao magnata Rupert Murdoch, pai de James, decidiu tirar o News of the World de circulação em julho, por causa da má repercussão do escândalo dos grampos telefônicos.

(Reportagem de Keith Weir)

Tudo o que sabemos sobre:
MIDIACOOGANTABLOIDES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.