Danny Moloshok/AP
Danny Moloshok/AP

Ator se arrepende de ter recusado papel em 'O Discurso do Rei'

Paul Bettany disse que gostaria de ter trabalhado com 'pessoas maravilhosas', como Geoffrey Rush e Tom Hooper

AP

26 de janeiro de 2011 | 15h45

O ator britânico Paul Bettany se arrepende de não ter aceito o papel de Colin Firth no filme O Discurso do Rei, que recebeu 12 indicações ao Oscar nesta terça-feira. 

O reteirista David Seidler disse que escreveu o roteiro (também indicado ao Oscar), com Bettany em mente para o papel do rei Jorge-VI, com o também indicado ao Oscar Geoffrey Rush como seu fonoaudiólogo.

 

Em entrevista durante o festival de filmes Sundance, pouco antes do anúncio dos indicados ao Oscar deste ano, Bettany explicou por que ele se arrepende de não ter aceitado o papel: "Em primeiro lugar, claro, me arrependo de não ter trabalhado com pessoas maravilhosas, como Geoffrey Rush e (o diretor) Tom Hooper."

 

"Acho que é um pouco deselegante para mim discutir isso", continuou Bettany.

 

"Eu tenho trabalhado intensamente nos últimos cinco meses e meu filho sente minha falta e eu sinto a falta dele. Dos meus dois filhos e da minha esposa", explicou o o ator, se referindo ao seu trabalho como inspetor John Acheson em O Turista. Bettany é casado com a atriz Jennifer Connellyand, com quem tem dois filhos.

 

"Se eu me arrependo disso?", perguntou-se Bettany. "Eu me arrependo de não ter trabalhado com atores, diretores e escritores excepcionais. Mas eu tenho que fazer a coisa certa para a minha família, sempre".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.