Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Ator e diretor Jorge Fernando morre aos 64 anos

Jorginho sofreu uma parada cardíaca; em 2017, o diretor havia sofrido um AVC; amigos e artistas lamentam morte de Jorge Fernando

Aramis Merki II, O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2019 | 00h52
Atualizado 29 de outubro de 2019 | 11h18

O ator e diretor Jorge Fernando morreu, aos 64 anos, na noite deste domingo, 27, no Rio de Janeiro. Ele estava internado no Hospital CopaStar, em Copacabana, desde a tarde, após ter um aneurisma. Segundo o hospital, a causa da morte foi uma parada cardíaca em decorrência de "uma dissecção de aorta completa". 

O velório do corpo de Jorge Fernando está marcado para a terça-feira, 29, e será aberto ao público das 8h às 10h. Inicialmente, o velório seria no no Cemitério do Caju, no Rio, mas o local foi alterado para a sala Marília Pera, no Teatro Leblon.

Em 2017, Jorginho, como era conhecido, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). Em julho daquele ano, ele participou do programa Mais Você para falar sobre sua reabilitação e emocionou a apresentadora Ana Maria Braga.

"Tive um grande aprendizado. Você fica com medo de morrer, de morrer para a vida. Aí aprende a saborear cada momento", disse o diretor à época.

O último trabalho de Jorginho foi na direção artística da novela Verão 90, no primeiro semestre de 2019. 

Filho da atriz Hilda de Medeiros Rebello, 95 anos, sempre lembrada em suas produções, Jorge Fernando de Medeiros Rabello nasceu no Rio de Janeiro, em 29 de março de 1955, e iniciou a carreira como ator em 1978 na série Ciranda, Cirandinha, da TV Globo, ao lado de Lucélia Santos, Fábio Junior e Denise Bandeira. No ano seguinte, atuou em sua primeira novela em Pai Herói. 

Como diretor, sua primeira novela na Globo foi Jogo da Vida, em 1981. Entre os principais trabalhos de Jorginho estão Rainha da Sucata (1990), Vamp (1991), A Próxima Vítima (1995), Zazá (1997), Era Uma Vez... (1998), As Filhas da Mãe (2001), Chocolate com Pimenta (2003), Alma Gêmea (2005), Sete Pecados (2007) e Guerra dos Sexos (2012).

Sempre lembrada, Guerra dos Sexos proporcionou ao público e à história de TV brasileira uma das cenas mais icônicas, quando Fernanda Montenegro e Paulo Autran travam uma batalha em frente às câmeras. Trata-se da clássica cena do café da manhã, considerada uma das mais importantes da teledramaturgia brasileira. A direção da novela foi de Jorginho e Guel Arraes. Quase 30 anos depois desse sucesso, ele teve a chance de fazer tudo de novo, quando dirigiu o remake da novela, em 2012.

Entre 2000 e 2001, Jorginho dirigiu Sai de Baixo, programa de humor de grande sucesso na Globo, atualmente em reprise aos sábados na emissora, e que tinha no elenco Miguel Falabella, Marisa Orth, Aracy Balabanian, Luis Gustavo, Tom Cavalcanti, Claudia Jimenez. Ao todo, ele dirigiu 34 novelas, minisséries e seriados.

No cinema, dirigiu os filmes Xuxa Gêmeas (2006) e A Guerra dos Rocha (2008) e atuou em Alma Corsária (1993) e Se Eu Fosse Você (2006).

Ainda em 2012, Jorge Fernando saiu da telinha para ocupar os palcos de teatro, com o espetáculo autobiográfico Salve Jorge, reunindo histórias vividas por ele no teatro, no cinema e na TV. (COLABOROU ELIANA SILVA DE SOUZA)

 

Tudo o que sabemos sobre:
Jorge Fernandotelevisãocinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.