Atlântida revive alegria da chanchada

Atlântida - O Reino da Chanchada estréia nessa sexta-feira no Teatro Brasileiro de Comédia. A montagem, com texto de Vera Novello e Ana Velloso, presta uma homenagem a artistas como Grande Otelo, Oscarito, Anselmo Duarte e José Lewgoy entre muitos outros que integravam o elenco das chanchadas da companhia cinematográfica Atlântida.No palco, 12 atores e 6 músicos interpretam mais de 30 canções compostas especialmente para a trilha sonora de chanchadas, entre elas No Tabuleiro da Baiana, de Ari Barroso; Escandalosa, de Djalma Esteves e Moacir Silva, e Beijinho Doce, de Nhô Pai. Apaixonado pela idéia de resgatar a memória de grandes artistas brasileiros por meio de musicais, De Bonis, que além de Dolores dirigiu também Lamartine para Inglês Ver, sobre Lamartine Babo, evita o saudosismo em cena. "A idéia não é reconstituir o passado, mas recriar o espírito de uma época de forma atualizada."Atlântida conta uma história inspirada nas chanchadas, porém original. "Não tivemos a pretensão de reproduzir cenas de filmes - porque o material é vastíssimo - ou levar ao palco atores como Lewgoy ou Cyll Farney, porque eles são únicos", comenta o diretor. As autoras criaram uma trama semelhante à dos filmes da Atlântida, com direito a mocinha, galã, vilão, personagens cômicos e até gestos semelhantes.A trama é simples e conta a história de Marly, uma interiorana que viaja para o Rio sonhando em ser artista da Atlântida, e consegue, com a ajuda da amiga Odete, uma vaga de corista na companhia. Ali conhece de perto seus ídolos Eliana, Cyll Farney e Oscarito. De quebra, conhece o grande amor de sua vida, o galã Luis Alberto."A concepção é bem simples. Brincamos com a idéia do preto-e-branco nos figurinos e cenários." Porém as cores aparecem em profusão nos momentos em que ela participa das gravações de coreografias nos estúdios da Atlântida. "É como se o público estivesse no estúdio, assistindo ao vivo a gravação de um daqueles filmes."Ele ressalta que são coreografias simples aos olhos de hoje, quase ingênuas. "As vedetes, com aqueles maiôs enormes, provocavam escândalo. Mas não temos pretensão de fidelidade, até porque essas coreografias eram dançadas por 40 vedetes."Atlântida fica em cartaz no TBC em curtíssima temporada. "Gostaríamos de ficar mais tempo em São Paulo. Quem sabe... Se o público paulistano gostar tanto do espetáculo quanto os cariocas talvez isso seja possível."Atlântida - O Reino da Chanchada. Musical. De Vera Novello e Ana Velloso. Direção De Bonis. Duração: 1h50. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas. R$ 20,00 (sexta) e R$ 25,00. TBC - Sala TBC. Rua Major Diogo, 315, tel. 3115-4622. Até 15/4

Agencia Estado,

22 de março de 2001 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.