Atelier Finep abre nova edição

Confirmando sua importância comoespaço de experimentação artística, o Paço Imperial do Rio exibeatualmente mais uma edição - de peso - das exposições do AtelierFinep, projeto que desde 1994 vem propondo a artistas convidadosque investiguem novos materiais e processos, em trabalhos especialmente concebidos para o espaço do museu carioca.A lista de participantes da mostra em cartaz até 16 demarço já dá uma idéia da importância dessa edição do projeto. Láestão Lygia Pape, Antonio Dias, Franz Weissmann, Luiz Áquila,José Resende e Waltércio Caldas (no time dos consagrados), alémde Germana Monte-Mór e Fernanda Junqueira. Mas a sensação de quese trata de um bom projeto se torna absolutamente tangível já naprimeira sala dedicada ao evento. Após uma primeira sensação dedeslumbramento diante da instalação Ttéia #1/C criada porLygia Pape, tentamos de todas as formas descobrir como a grandemestra da arte contemporânea brasileira consegue transformar luzem matéria usando apenas uma sala negra, alguns rolos de linhadourada e um cuidadosa iluminação. A obra faz parte da série dasTtéias, que a artista vem desenvolvendo desde a década de 70(recentemente ela exibiu uma de suas "teias" na Galeria FortesVilaça), mas parece que a cada nova versão ela ganha uma novaimportância.Aliando emoção e rigor, esse trabalho apresenta umasérie de elementos-síntese da riqueza criativa de Lygia: arelação com o espaço; a interação com o espectador; suacapacidade de transformar materiais banais como pipocas ebaratas em algo repleto de sentido poético; e uma eternapreocupação em ultrapassar segmentações e limites.O outro grande paradigma presente na exposição é FranzWeissmann que, aos 91 anos, exibe uma escultura inédita no pátiointerno do paço e uma série de protótipos, revelando ao públicoa intimidade de seu processo criativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.