Até com pouco ensaio eles fazem sucesso

Apesar de parecer o show de mais fácil solução, o de Maria Bethânia foi o que sofreu mais as consequências do pouco tempo disponível para ensaiar. Lulu Santos (que abriu a série do Circuito Cultural Banco do Brasil na sexta cantando clássicos do repertório de Roberto Carlos e Erasmo Carlos) e Sandy (que surpreendeu interpretando Michael Jackson no sábado) se deram melhor. Os três vão ter de fazer ajustes, isso normalmente ocorre em qualquer tipo de espetáculo. Apesar dos contratempos - Lulu também errou algumas letras e Sandy estava um pouco insegura -, são três shows com forte apelo popular, tiveram lotação esgotada em Curitiba, e tendem a crescer. De São Paulo seguem para Goiânia e Ribeirão Preto (dezembro) e Recife (janeiro).

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2011 | 03h07

Pelas circunstâncias em que esses shows se desenvolveram, a margem de erros foi pequena. Monique Gardenberg, que traz a marca da sutileza em seus projetos, diz que interferiu muito pouco na decisão de cada intérprete. Um dos acertos foi a utilização de um cenário único, funcional e versátil, para os três shows. As mesmas peças em cena - cortinas de tecido e espelhinhos, um tablado de três degraus, uma tela redonda para projeções -, foram dispostas em situações diferentes em cada um, com belos efeitos de luz.

Entre os prováveis shows para a próxima edição, Monique falou de Marina Lima cantando Madonna, Seu Jorge interpretando Tim Maia e Nelson Cavaquinho na voz de Paulinho da Viola, entre outros. A mais nova sugestão foi de convidar Ney Matogrosso para interpretar o repertório de Clara Nunes (1942-1983). Afinal, ela faria 70 anos no dia 12 de agosto de 2012 e seria uma homenagem marcante. / L.L.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.