Astro de Harry Potter se diz pouco motivado a dirigir carros

Apesar de rico, Daniel Radcliffe diz que sua maior extravagância até agora foi a aquisição de um quadro

Entrevista com

Michelle Nichols, da Reuters,

07 de setembro de 2014 | 14h21

Quando o ator britânico Daniel Radcliffe completou 18 anos, em julho, acredita-se que ele ganhou US$ 40 milhões, mas, em vez de gastar o dinheiro com um carro veloz, sua maior extravagância até agora foi uma pintura. O ator de modo educado ganhou sua fortuna representando nas telas o bruxo Harry Potter, e em breve começará a trabalhar no sexto filme da sequência de sete. Em seu primeiro papel importante no cinema fora da série Harry Potter, Radcliffe representou um órfão australiano em December Boys, que estréia no Reino Unido e nos Estados Unidos nesta sexta-feira. Ele falou à agência de notícias Reuters sobre sua vida fora das telas. Pergunta: O que você faz para relaxar? Resposta: Assisto a partidas de críquete, se bem que isso pode ser uma coisa bem tensa para quem torce para a Inglaterra. Saio com meus amigos. Leio, e às vezes escrevo, principalmente poemas. P: Quais têm sido suas maiores influências profissionais? R: Meu melhor amigo, Will, que tem 41 anos e dois filhos. Ele vem sendo uma influência enorme e uma inspiração para mim, simplesmente porque é um grande sujeito. Ele é quem cuida dos meus figurinos de Harry Potter. Em matéria de atores, são Gary Oldman e Imelda Staunton, tanto por seu comprometimento quanto por seu profissionalismo brilhante. Não tenho paciência com pessoas com frescuras no set. A gente está fazendo um trabalho e está sendo bem pago para isso, então tem mais é que ir lá e fazer. P: Agora que você tem 18 anos, a atenção dos paparazzi o preocupa? R: Se você não vai a lugares que são conhecidos por serem frequentados por paparazzi, não deve ter problemas. Sempre existe a chance de que eles o sigam, mas, se não, deve dar tudo certo. Já saí para tomar uns drinques, etc. e tal, mas desde que completei 18 anos estou descobrindo que o mais legal não é beber, mas pagar bebidas para outras pessoas. Quando isso acontece você se sente adulto e cool, realmente parte da turma. P: Você tem um carro seu? R: Nunca fiz aulas de direção. Sou o jovem menos motivado para dirigir no mundo. Não tenho o menor desejo de dirigir. Meu pai é um motorista péssimo e minha mãe é ótima, mas acho que serei mais como meu pai. Obviamente vou ter que aprender a dirigir, porque é a coisa da independência, mas também porque quero saber dirigir picapes em filmes. P: Quais são seu livro e seu filme favoritos? R: Na realidade tenho três filmes favoritos, e são todos antigos: Dr. Fantástico, Doze Homens e Uma Sentença e um filme que vi duas vezes há pouco, Neste Mundo e No Outro. É espantoso, é bizarro.  Meus livros favoritos são O Velho e o Mar, Germinal e Medo e Delírio em Las Vegas, que deve estar nas listas de favoritos de todo teen, mas é um grande livro. P: Qual foi sua maior extravagância até agora? R: Comprei um quadro de um artista chamado Jim Hodges, que eu adoro. São palavras, o quadro diz "oh for crying out loud" (algo como "me poupe!"), mas é feito de uma maneira linda. Francamente, a resposta mais interessante a essa pergunta é a de Rupert Grint (que faz o papel de Ron Weasley em Harry Potter). Ele comprou uma coisa fantástica: um furgão de sorvete que funciona. Ele vai levar para o set para que a gente possa tomar um Mr. Whippy's na hora do almoço.

Tudo o que sabemos sobre:
Harry PotterDaniel Radcliffe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.