Associação de Críticos elege os melhores de 2002

A Associação Brasileira de Críticos de Arte anunciou hoje os indicados para o prêmio ABCA 2002. São oito categorias em que concorrem pessoas e intituições que contribuíram para o cenário cultural brasileiro, em especial nas artes plásticas, no ano passado. A seleção dos indicados reúne nomes de importância histórica na cultura nacional, como os artistas Arcângelo Ianelli e Franz Weismann, que concorrem na categoria Artista-Trajetória, e o jornalista Ruy Mesquita, diretor de O Estado de S. Paulo, que concorre ao prêmio na categoria Personalidade.Na categoria Artista Contemporâneo, concorrem Artur Barrio, Ernesto Neto, Vik Muniz e Waltercio Caldas. A professora Helouise Costa e a pesquisadora Ruth Tarasantchi disputam na categoria Pesquisador. O diretor de museu Ricardo Brennand e o arquiteto Ítalo Campofiorito concorrem com o jornalista Ruy Mesquita ao prêmio de Personalidade. Na categoria Artista-Trajetória, além de Ianelli e Franz Weismann, concorre também Abraham Palatnik.Agnaldo Farias, Daniela Buosso e Paulo Klein disputam o prêmio de Curador. Para Instituição, os candidatos são o centro Cultural Banco do Brasil de Brasília, a Fundação Joaquim Nabuco e o Sesc de São Paulo. Os críticos Jorge Coli, José Neistein, Pierre Santos e Raul Córdola concorrem ao prêmio de Crítico Filiado. Já Fernando Cocchiarale, Radha Abramo e Geraldo Edson de Andrade vão concorrer na categoria Crítico-Trajetória.Os vencedores do prêmio ABCA 2002 serão conhecidos na segunda-feira, mas a entrega dos troféus vai acontecer apenas em abril, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Com patrocínio da Funarte, o prêmio ABCA foi criado em 1978. A associação, contudo, data de 1949. Entre seus fundadores estão os críticos Sérgio Milliet e Mário Pedrosa.

Agencia Estado,

14 de março de 2003 | 13h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.