Marcelo Sayão/ EFE
Marcelo Sayão/ EFE

'Assim como eu, meus personagens amadurecem'

No Festival do Rio para lançar seu novo filme 'Night Moves', Dakota Fanning fala de como é ser uma veterana aos 19

Flávia Guerra, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2013 | 02h13

RIO - Quem acompanha Dakota Fanning desde I am Sam - Uma Lição de Amor (2001), quando, aos 7 anos, ganhou o primeiro grande papel no cinema - ao lado de Sean Penn e Michelle Pfeiffer, a viu virar ídolo teen ao interpretar a vilã Jane na saga Crepúsculo. E agora, para o público que a vê ser a estrela do fim de semana do Festival do Rio, com seu novo filme Night Moves, é difícil imaginar que a atriz tenha só 19 anos. Em Night Moves, ela interpreta Dena, uma jovem ativista que tem como missão explodir a barragem de uma represa.

Ao lado de Peter Saarsgard (de Lovelace) e Jesse Eisenberg (de Rede Social), ela vive esse drama com tons de thriller, que, mais que um filme sobre o ativismo ambiental, fala da tensão interior que toma conta dos três ecoterroristas quando as consequências de seu ato são mais sérias que apenas uma inundação. Dirigido por Kelly Reichardt e coproduzido pela brasileira RT Features (de Rodrigo Teixeira), Night Moves teve boa recepção no Festival de Veneza e dividiu a plateia do Rio.

Sobre o longa, ativismo e a sua carreira, Dakota conversou com o Estado.

Este é um filme em que a tensão se constrói aos poucos. Para você, sobre o que é Night Moves?

É um filme sobre ecoativismo, mas também sobre o que cada um de nós sente. É um thriller, mas é também um drama sobre nossos dilemas interiores.

Quem é Dena? É alguém com quem se identifica?

É cheia de vida e se importa com o mundo. Eu me importo com o meio ambiente, economizo energia, reciclo, etc., mas não diria que faço muito mais do que as pessoas em geral. Eu me identifico com ela no sentido de querer fazer a diferença, tocar as pessoas.

Como parte dessa vontade de fazer da juventude, ela não analisa muito bem seus atos, não?

Exato. E isso é tão comum na nossa idade. Tenho 19 anos e sei como é difícil estar alerta para as consequências de nossas decisões. A Dena é uma garota inteligente, que adora falar, que fala muitas vezes antes mesmo de pensar e se sente muito frustrada com sua geração, que não entende as consequências de seus atos contra o planeta. Ela se frustra muito com isso. Ela quer fazer algo cujos efeitos podem ser sentidos imediatamente.

Ela é muito diferente de seus outros personagens?

Sim. Às vezes é difícil me desvencilhar de meus papéis, pois os personagens são, muitas vezes, tão reais e, ao mesmo tempo, sei que não são.

Seus personagens, assim como você, estão amadurecendo?

Sim. E isso é natural, pois eu estou também envelhecendo. Posso interpretar personagens mais novos ou mais velhos que eu, mas no geral eles têm me acompanhado no processo de me tornar adulta.

Você corria o risco de se tornar rotulada em papéis teen, mas está conseguindo escolher bons papéis, não?

Sim. Tento sempre escolher papéis que me farão dar um passo adiante. Em geral costumo usar a intuição na hora de entrar para um projeto. Night Moves foi um dos que escolhi pela vontade de trabalhar com Kelly e pela trama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.