Assassino de Lennon estaria atrás de mais atenção

Depois de negada sua liberdade condicional ontem em Nova York, o assassino de John Lennon, Mark Chapman, vai ter de esperar pelo menos dois anos para ter sua sentença reavaliada. "O comitê acha que a suspensão de sua pena agora eliminaria a seriedade do crime e diminuiria o respeito pela lei", diz o documento escrito pelas três pessoas responsáveis pela análise. "Seu crime foi aparentemente impulsionado por sua vontade de ficar conhecido e este comitê notou que ainda há este interesse." Chapman deu várias entrevistas nos últimos tempos falando que Lennon gostaria de vê-lo livre. Ele cumpriu 20 anos de sua pena e tem tido bom comportamento. Yoko Ono, que havia enviado uma carta ao comitê em setembro dizendo que a libertação de Chapman faria com que ela e os dois filhos do ex-Beatle se sentissem inseguros, afirmou, por meio de um porta-voz, que gostou da decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.