Arquivo/AE
Arquivo/AE

Assassino de John Lennon tem liberdade condicional negada pela sétima vez

Mark David Chapman atirou no artista quatro vezes nas costas, do lado de fora do prédio onde o músico morava em Nova York, em 1980

Reuters

23 de agosto de 2012 | 12h36

Mark David Chapman, o homem que matou o ex-Beatle John Lennon 32 anos atrás, teve o seu pedido de liberdade condicional negado pela sétima vez, afirmou o Departamento de Correções do Estado de Nova York nesta quinta-feira.

Chapman, de 57 anos, está servindo uma pena de no mínimo 20 anos à prisão perpétua, por atirar em Lennon quatro vezes nas costas, do lado de fora do prédio onde o músico morava em Nova York, em 8 de dezembro de 1980.

Ele se declarou culpado por assassinato de segundo grau.

A sua audiência sobre a liberdade condicional aconteceu no início da semana.

(Reportagem de Dan Burns)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.