Aspirante encena texto de Fernando Arrabal

Com o texto enviado pessoalmente pelo dramaturgo espanhol Fernando Arrabal e com a orientação do diretor Antônio Araújo, de Apocalipse 1,11 e O Livro de Jó, o aspirante a diretor Frederico Foroni apresenta A Bicicleta do Condenado no Teatro Laboratório da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) onde ele estuda. A peça faz parte do currículo de montagens obrigatórias para a formação do diretor, mas se destaca de uma simples apresentação estudantil por suas participações especiais.A Bicicleta do Condenado vai ser interpretada pelo grupo Cincoincena, que já tem alguns prêmios com montagens de outros textos de Arrabal. Marco Aurélio Campos, que interpreta Viloro, o protagonista da peça, lembra que a primeira montagem do grupo foi Piquenique no Front, do Arrabal. Ganharam o Festival Internacional de Pindamonhangaba e o Fepama de Teatro amador. "Descobrimos que o teatro do absurdo era um tema que a gente desenvolvia bem", diz. "Fizemos ainda uma adaptação do Anjo Exterminador, do Buñuel, e mais duas montagens de A Oração, também do Fernando Arrabal."O contato do grupo de atores semi-profissionais com o dramaturgo espanhol começou de um jeito diferente. "Em 1996 uma pessoa do grupo estava em Paris e descobriu onde o Fernando Arrabal morava", lembra Marco Aurélio. "Ela deixou embaixo da porta dele uma carta em português cedendo os direitos do texto para a encenação que a gente ia fazer e estava tendo problemas para a liberação aqui no Brasil. Para a surpresa de todos nós, tempos depois ele enviou a carta assinada pelo correio e a gente pôde montar a peça". Marco Aurélio usou o mesmo truque neste ano para conseguir o texto original de A Bicicleta do Condenado. "Existem duas traduções em português deste texto, mas elas são muito diferentes e não daria o tempo que nós queríamos para o espetáculo, uma delas daria uma peça de meia hora e a outra tradução um espetáculo de 50 minutos", diz Frederico Foroni, que concebeu a apresentação com 75 minutos. "Escrevi para o Arrabal e ele mandou as páginas tiradas do seu próprio livro, desejando boa sorte", vibra Marco Aurélio, também responsável pela tradução.Entalado - A obra conta uma história de amor entre Viloro e Tasla em tempos de repressão política e tortura, sem localização fixa no tempo e espaço. Ambos sonham com a possibilidade de viver juntos e com o fim da repressão, que chega a ser caricata de tão violenta e banal. Viloro vive ainda o sonho de tocar o seu piano, projetando na música toda a possibilidade de exercer sua mínima liberdade.A peça registra três momentos na vida de Tasla, vividos por Bia Borin, Lívia Lisbôa e Márcia Mendonça. Tasla transporta em sua bicicleta condenados à morte pelos torturadores e se contenta com uma lúdica bola azul para alegrar a sua vida limítrofe.A realização desta história estava entalada na garganta de Frederico Foroni desde 1993, quando teve sua primeira experiência teatral em Uberaba, Minas Gerasi, onde nasceu. "Eu fiz o Viloro em uma montagem do diretor J. M. Madureira, que foi quem apresentou o palco para mim e a ele dedico este espetáculo", conta Foroni. "Mas nós não conseguimos apresentar a peça por que o teatro foi demolido na semana da estréia. Fiquei com isso entalado. E entalado na garganta também toda opressão que a gente sofre por tentar fazer uma arte sem concessões, neste ambiente onde o capital está acima de tudo", desabafa.O contato de Frederico com o diretor do Grupo de Teatro da Vertigem, Antônio Araújo, começou na ECA, onde o diretor dá aulas. "Em um exercício de sala, nós desenvolvemos um espetáculo sobre o suicídio que se chamava Playmobil. O Frederico resolveu ir além e apresentou a peça em Sorocaba, e ganhou o prêmio de melhor texto original", conta Araújo, que reestréia hoje Apocalipse 1,11 no presídio do Hipódromo, depois de uma temporada em Portugal.A peça ainda foi premiada no Festival do Sesi de Novos Talentos, e mais do que aprovada por Antônio Araújo. "No trabalho ele se mostrou um diretor muito esforçado e cuidadoso com a intenção dos seus espetáculos", diz Araújo.O Cenógrafo Cyro Del Nero, foi outro grande nome que colaborou com Fred Foroni. Ele desenhou todos os elementos cenográficos que foram construídos e executados por Alicia Hirsz, Nelson Chedid e Richard Garrido."Acho que estas pessoa se juntaram porque suas idéias sobre o teatro são semelhantes. O Antonio Araújo tem uma idéia de teatro muito artística, de vanguarda , não-comercial, tudo que este texto também busca, e que a gente tenta fazer nesta montagem", conclui Frederico.A Bicicleta do Condenado - de Fernando Arrabal de 28.10 a 19.11.2000 (sábados, às 20h00, e domingos, às 19h00). Direção: Frederico Foroni. Com: Grupo Cincoincena Local: Teatro Laboratório/ECA - Av. Prof. Luciano Gualberto, trav. J, 215 Cidade Universitária - Tel.: 3818.4375. Entrada franca. Retirar ingresso com uma hora de antecedência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.