Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

As novidades da nona Flip

Festa do livro em Paraty dará mais foco ao romance e terá menos autores nacionais

Raquel Cozer, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2011 | 00h00

A 9.ª Festa Literária Internacional de Paraty, de 6 a 10 de julho, dará mais ênfase à ficção - ao romance, em especial - que edições anteriores, na avaliação do curador do evento, Manuel da Costa Pinto. Na ponta do lápis, a quantidade de mesas com romancistas não é tão maior que a do ano passado (serão 10 do total de 18, ante 9 em 2010), mas outros aspectos podem ser ressaltados: a Flip 2011 terá menos brasileiros e maior variedade linguística entre os autores (veja programação ao lado).

A programação foi anunciada ontem pela manhã com uma grata surpresa: o mais importante crítico literário do País, Antonio Candido, aceitou convite para participar da mesa de abertura, com José Miguel Wisnik, sobre o homenageado desta edição, Oswald de Andrade (1890-1954). O estudioso abriu uma exceção para sua costumeira recusa em falar em público após conversar com a professora da Unicamp Antonieta Marilia Oswald de Andrade, filha do modernista. "Ele foi um dos únicos amigos a acompanhar meu pai até a morte", disse ela.

Também anunciados só ontem, outros dois convidados que prometem atrair atenção são o músico e artista escocês David Byrne - que pretende falar acima de tudo sobre ciclismo urbano, tema de seu livro Diários de Bicicleta (Amarilys) - e o neourocientista brasileiro Miguel Nicolelis.

Sobre a ênfase no romance, Manuel da Costa Pinto destacou um "eixo principal", tendo como destaques o brasileiro João Ubaldo Ribeiro, o italiano Antonio Tabucchi (que participará de conversa com o cronista do Estado Ignácio de Loyola Brandão) e o norte-americano James Ellroy. As novas gerações estarão representadas pela mesa com a argentina Pola Oloixarac e o angolano valter hugo mãe, enquanto uma "confluência de gêneros" aparece no debate entre o húngaro Péter Esterházy e o francês Emmanuel Carrère. Além da mesa de Ubaldo, uma única mesa será formada apenas por romancistas brasileiros: Marcelo Ferroni, Edney Silvestre e Teixeira Coelho.

A filosofia e a ciência aparecem nas mesas do cineasta Claude Lanzmann e de Miguel Nicolelis e Luiz Felipe Pondé. A poesia estará presente em debate da premiada poeta escocesa Carol Ann Duffy com o tradutor Paulo Henriques Britto, e as histórias em quadrinhos, na mesa do cartunista maltês Joe Sacco. Sacco dará uma colher de chá com outra apresentação na Flipzona, voltada a adolescentes. Esse intercâmbio entre programações também é um diferencial deste ano. Além dele, Loyola e Edney Silvestre falarão tanto na Tenda dos Autores quanto na Flipzona.

A homenagem a Oswald de Andrade incluirá uma exposição com material inédito. Entre os destaques, um painel mostrando a relação do modernista com a dança - uma relação, por assim dizer, afetiva, já que Oswald teve como musas Carmem Brandão (a quem ele eternizou como Landa) e Isadora Duncan - com quem, segundo Antonieta Marilia, ele "ficou". Haverá ainda fotos da viagem que o escritor empreendeu com o francês Albert Camus a Iguape, em 1949.

Com orçamento de R$ 6,8 milhões, sendo R$ 1,2 milhão para projeto educativo, a Flip sofrerá alterações estruturais. A principal é a mudança da Tenda do Telão para a outra margem do Rio Perequê-Açu, ficando na mesma margem da Tenda dos Autores. Com isso, a Flipinha passará a ocupar a antiga localização da Tenda do Telão. A Praça da Matriz, onde sempre ficou a Flipinha, estará em obras - dentro do projeto de revitalização promovido pela Casa Azul, realizadora da Flip. Quem sairá ganhando com essas mudanças serão os autores, que sempre sofreram com o barulho da Flipinha. A maior parte dos convidados ficava hospedada na Pousada da Marquesa, bem em frente à praça da Matriz. Agora, eles ficarão na Pousada Pardieiro, mais distante, e que, apesar do nome, é uma das melhores de Paraty. A venda de ingressos, com preços iguais aos de 2010 (R$ 40 para Tenda dos Autores e do Telão), começa no dia 6.

TENDA DOS AUTORES

Dia 6/7 (quarta)

19 h - Abertura

Antonio Candido, José Miguel Wisnik (debatedor)

21h30 - Show de abertura

Zé & Celso + Elza, com José Miguel Wisnik, Celso Sim e Elza Soares

Dia 7/7 (quinta)

10 h - Mesa Zé Kleber

Michèle Petit, Dominique Gauzin-Müller

12 h - Mesa 1

Carol Ann Duffy, Paulo Henriques Britto

15 h - Mesa 2

Gonzalo Aguiar, Marcia Camargo

17h15 - Mesa 3

Caryl Phillips, Kamila Shamsie

19h30 - Mesa 4

Miguel Nicolelis, Luiz Felipe Ponde

Dia 8/7 (sexta)

10 h - Mesa 5

Andres Neuman, Michel Sledge

12 h - Mesa 6

Pola Oloixarac, valter hugo mãe

15 h - Mesa 7

Péter Esterházy, Emmanuel Carrère

17h15 - Mesa 8

Antonio Tabucchi em conversa com Ignácio de Loyola Brandão

19h30 - Mesa 9

Claude Lanzmann

Dia 9/7 (sábado)

10 h - Mesa 10

Enrique Krauze, John Freeman

12 h - Mesa 11

Joe Sacco

15 h - Mesa 12

Marcelo Ferroni, Edney Silvestre, Teixeira Coelho

17h15 - Mesa 13

João Ubaldo Ribeiro

19h30 - Mesa 14

James Ellroy

Dia 10/7 (domingo)

10 h - Mesa 15

Eduardo Sterzi, João Cezar de Castro Rocha

11h45 - Mesa 16

David Byrne

14h30 - Mesa 17

Laura Restrepo, Héctor Abad Faciolince

16 h - Mesa 18

Convidados da Flip leem trechos de seus livros prediletos

Outras informações www.flip.org.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.