As garotas perdem o programa

Elas demoraram a entrar no ar. Foram meses e meses de preparação. Ajustes no texto e gravação de pilotos. Tudo para que o humorístico Garotas do Programa, uma versão feminina do Casseta e Planeta: Urgente, estreasse com tudo em cima. No dia 2 de abril, lá estavam elas. O grupo de atrizes, formado por estrelas como Marília Pera, Beth Goffman, Drica Lopes e Camila Pitanga, entrou em sintonia com o texto das garotas do Grelo Falante, editoras de um jornal de humor e donas da idéia. Mas o resultado não foi o esperado. O programa - apresentado às sextas-feiras depois do Globo Repórter - deu de cara com as sessões de filmes inéditos do SBT, que registram toda a semana bons índices de audiência. E não agradou. As piadas traziam um espírito de vingança em relação aos homens e os temas começaram a ficar repetitivos. A nova atração brincava com a inversão de papéis e não caiu nas graças da crítica. A princípio, o humorístico ficaria fora do ar apenas durante o horário eleitoral. Mas comenta-se que de fato isso não vai acontecer, e "as garotas" não devem voltar mais a ter seu programa.Há um mês, as redatoras do Garotas do Programa resolveram mudar seu perfil. A atração perdeu um pouco do teor feminista na tentativa de aumentar a audiência. Outra idéia que chegou a ser colocada em prática foi a criação do programa temático. Uma vez por mês, as atrizes exibiam um tema diferente. A primeira experiência aconteceu no mês passado, quando foi ao ar um programa sobre festas juninas. Os temáticos tinham como objetivo fugir da mesmice e brincar com assuntos atuais. Apesar de a emissora não confirmar, a atriz Marília Pera comentou na semana passada que estava triste com o fim do programa. Segundo ela, o semanal tinha chances de continuar sendo exibido se passasse por algumas reformulações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.