"As Filhas da Mãe" reúne seleção de comediantes

Foi um happening e tanto o lançamento de A Incrível Batalha das Filhas da Mãe no Jardim do Éden, ou apenas As Filhas da Mãe, nova novela das sete da Globo, que estréia no próximo dia 27. A festa aconteceu anteontem, no final da tarde, no cenário onde se desenrolará a maior parte da trama: o fictício resort Jardim do Éden, erguido numa área de 12 mil m2 no parque aquático Rio Water Planet, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio.A construção, no estilo pomposo dos cenários das novelas de Sílvio de Abreu e do diretor Jorge Fernando, lembra a mansão dos O´Hara em ... E O Vento Levou - dourados, escadarias, candelabros, espelhos, lago com chafariz e luzes coloridas, além de um jardim imenso por onde circulava o elenco.Estavam lá Cláudia Raia, Reynaldo Gianecchini, Thiago Lacerda, Cláudia Jimenez, Bete Coelho, Francisco Cuoco, Tony Ramos, Cláudia Ohana, entre outros. A ausência mais sentida foi a de Fernanda Montenegro, cuja irmã havia falecido naquela manhã."Scarlett de Inhaúma" - Aproveitando o clima de superprodução, Jorge Fernando subiu a escadaria do cenário e lembrou sua trajetória de garoto pobre até chegar ali. "Eu passava de trem pelo cemitério de Inhaúma (subúrbio do Rio) e pensava: ´Não pode ser só isso. Tenho que sair daqui, preciso realizar meus sonhos´. Posso dizer que eu era uma Scarlett O´Hara de Inhaúma." Com 33 anos ele já dirigia novelas - "mas vivia sempre naquela tensão, faltava alguma coisa. Aí, veio a busca da espiritualização. Agora, tenho uma qualidade de vida muito melhor, e isso vai se refletir na novela", diz Jorge, aos 47.Silvio de Abreu disse apenas que só esperava que desse tudo certo, depois de seis anos fazendo novelas dramáticas. Aplausos gerais e todos assistiram nos cincos telões espalhados pelo lobby a um clipe de dez minutos com as chamadas da novela e trechos do primeiro capítulo. O momento que provocou mais risos foi a seqüência em que o próprio Abreu, como apresentador do Oscar, entrega a oitava estatueta à diretora de arte mais famosa de Hollywood, Lulu de Luxemburgo (Fernanda Montenegro), numa brincadeira com o fato de a atriz não ter conquistado o prêmio por Central do Brasil."Esta festa é a cara do meu personagem, um cubano empreendedor, que adora luxo e glamour e vive querendo ser aceito pela sociedade", brincou Tony Ramos, bem mais magro e com costeletas à la Elvis Presley. Durante as gravações em Las Vegas, para os primeiros capítulos, muita gente lhe perguntava se o visual era uma homenagem a Elvis. Jorge Fernando percebeu o filão e avisou ao autor, que já escreveu uma brincadeira nesse sentido. "Essa é uma das vantagens da obra aberta: ir sendo feita mediante o termômetro do gosto popular", comentou o ator.Radiante, Cláudia Jimenez comemorava a beleza de seus pares românticos. E não sossegou enquanto não provou o famoso beijo - nada técnico - de Reynaldo Gianecchini, com quem terá um romance na trama. Thiago Lacerda limitava-se a resumir o perfil de seu personagem, o mau-caráter Adriano. Mas admitiu que teria prazer em estar na novela de Benedito Ruy Barbosa, que deve ir ao ar no ano que vem.Time de comediantes - Segundo Silvio de Abreu, a criação de As Filhas da Mãe veio no processo inverso de todas as outras novelas. "O Jorginho me convenceu a escrever uma novela agora. Eu disse que fazia, mas só se fosse comédia, com um elenco de comediantes".Juntos, fizeram uma lista de mais ou menos 20 nomes e a levaram a Marluce (Dias da Silva, diretora-geral da Globo). A única atriz que não estava contratada era a Fernanda Montenegro, mas que aceitou assim que Abreu falou com ela. "Fui escrevendo os personagens para cada ator e depois amarrei tudo numa história", conta o autor.Ele explicou que o título longo - que deve ser mais usado de forma abreviada - veio da idéia de narrar a trama como se fosse um cordel. "Isso me remeteu a um título grande e depois aos raps que pontuarão a história, funcionando como uma narração, e mais um rap para cada personagem." Os compositores são Mu Carvalho, Dudu Falcão, Paulinho Soledade, Sandra Louzada e Rodolfo Rebuzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.