"As Cinzas de Deus" leva a dança ao cinema

Ela vive fora do Brasil há sete anos e sua volta se dá em grande estilo. Fernanda Lippi começa a restabelecer seus vínculos conosco de duas maneiras: inaugurando, por intermédio do primeiro filme de dança produzido aqui, As Cinzas de Deus, um projeto que prevê o lançamento de uma série, e da inauguração de uma filial da companhia que dirige em Londres, a Zikzira. Realizado pela produtora inglesa Maverick Motion, o primeiro filme está sendo pré-lançado hoje, somente para convidados, às 20 horas, no British Council.As Cinzas de Deus tem coreografia de Fernanda, com roteiro e direção do cineasta suíço André Semenza, fotografia do inglês Marcus Whaterloo e traz no elenco ex-bailarinos de duas companhias mineiras, o Grupo Corpo e o 1.º Ato: Jaqueline Gimenes (que se tornou uma das marcas mais fortes do Grupo Corpo), Tuca Pinheiro (coreógrafo do Grupo 1.º Ato), Ricardo de Paula, Heloísa Pinheiro Domingues e Marise Diniz.Para falar de criação, transformação e morte, o filme partiu da Metamorfose, de Ovídio. Trata-se de personagem que volta ao passado e encontra lá outros habitantes e tem como tarefa libertar-se e libertá-las. Como foi filmado nas ruínas de antiga estação de trem do século 18, a locação, em Ribeirão Vermelho, no sul de Minas, resultou num ambiente perfeito. Paredes destruídas, lama, muita poeira, rastros das inundações do Rio Grande por todos os cantos, como se os sinais físicos da degradação arquitetônica, eles mesmos fossem fantasmas. Na rotunda, ainda há vitrais espetaculares, telhas francesas, ferro fundido importado de Glasgow. A tônica do visual do filme está nesse cruzamento de texturas e no modo como elas se tornam materiais.Os minutos já editados revelam uma produção cuidadosa, uma realização caprichadíssima e um desempenho impecável do elenco. Os habituais fãs de Jaqueline Gimenez terão o prazer de reencontrá-la como uma intérprete mais madura e com mais tonalidades de atuação. Fernanda Lippi se mostra uma coreógrafa que aposta na dramaticidade e no vigor físico e seu manejo de ambos indica que este pode se tornar um filme realmente bom. Além disso, pode abrir um mercado para a dança e seus profissionais - sendo este o aspecto que mais importa no projeto que a Maverick Motion está lançando com As Cinzas de Deus. Fernanda Lippi criou a Zikzira Physical Theatre em 1999, em Londres, com André Semenza e a coreógrafa grega Athina Vahla e lá trabalha com sete bailarinos. Apresentam-se preferencialmente em espaços não convencionais e em eventos artísticos, tais como na inauguração da Tate Modern, no Sportorama e no Royal Festival Hall 2000. Agora, com a fundação da Zikzira brasileira, declara desejar "um intercâmbio criativo no desenvolvimento de uma linguagem que misture Grotovsky com Stanislavsky e Pina Bausch". Fernanda graduou-se em 2000 com o Diplom of Dance Theater Choreographer no Laban Center, onde foi bolsista por três anos.As Cinzas de Deus, dir. André Semenza. Pré-lançamento hoje, no British Council. Rua Ferreira de Araújo, 741, Pinheiros, tel. 0--11 3819-3379. Somente para convidados.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2001 | 12h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.