Artistas se reúnem em favor do Teatro Oficina

Na última quinta-feira, cerca de 20 pessoas fizeram uma análise da série de debates Odisséia do Teatro Brasileiro, no teatro Ágora (veja link abaixo). Mas, cumprida a intenção de fazer o balanço crítico do evento, o grupo decidiu ir além. Com a iniciativa dos próprios organizadores, foi redigido ontem um abaixo-assinado (veja link abaixo) para buscar apoio da classe teatral ao diretor José Celso Martinez Corrêa, em sua disputa judicial pelo espaço do Teatro Oficina. O projeto do Grupo Silvio Santos de construir um Shopping Center cultural ao redor do Teatro Oficina, inviabilizaria a execução do projeto de Lina Bo Bardi para a construção de um teatro de arena no local. O abaixo assinado argumenta que o projeto atual do Bela Vista Festival Center descaracteriza o espaço do Teatro Oficina, tombado pelo Condephaat. A construção não respeita os 400 metros em torno do tombamento na qual, segundo o Condephaat, é proibido construir. Os atores apelam para um "ato magnânimo" de Silvio Santos na negociação com o Teatro Oficina. A intenção é que o empresário tenha o "espírito público" que tornou os empresários Assis Chateaubriant e Cicillo Matarazzo grandes mecenas brasileiros. "Queremos conscientizar as pessoas que não é só o Teatro Oficina que está em jogo e sim uma proposta de urbanização para a cidade e para o bairro", diz o ator Celso Frateschi. "O Bexiga tem um corte social muito amplo, que vai do burguês ao miserável. É o bairro com a maior quantidade e variedade de teatros. O que queremos é que haja uma negociação do projeto do Silvio Santos para que não descaracterize o bairro e se construa uma Ágora no espaço do Oficina", conclui Frateschi. A Ágora, projetada por Lina Bo Bardi e desenvolvida pelos arquitetos Paulo Mendes da Rocha e Edson Elito, seria um espaço público para debates e apresentação de peças ao ar livre em um teatro de arena. O projeto segundo Zé Celso, vai romper com o beco sem saída no qual o teatro brasileiro se encontra. "Seria um rio de criatividade passando no meio das torres do shopping. Atravessando o beco sem saída onde a sociedade de consumo quer colocar o teatro", afirma o diretor. "O projeto do shopping tem uma concepção de higienie étnica, querem expulsar mendigos e moradores de rua para sanear o bairro", conclui Zé Celso. Com a iniciativa do ator e escritor Isaías Almada, já começou a circular na Internet, uma corrente de e-mails para apoiar o diretor do Teatro Oficina. Em uma espécie de abaixo assinado digital, Isaías está enviando seu texto para que seja assinado e passado adiante. "Eu queria ter um jeito de chamar os meus colegas artistas que tem uma importância na opinião pública, a entrar nesta batalha de convencer o Silvio Santos a doar o último terreno do Bexiga para um teatro grego natural, uma Ágora", termina o diretor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.