Artistas protestam contra pagamentos atrasados em SP

Cerca de 120 músicos, cantores e bailarinos da Orquestra Sinfônica Municipal, dos corais Lírico e Paulistano e do Balé da Cidade reuniram-se ontem no centro da cidade para reivindicar o pagamento dos salários de dezembro e a renovação dos contratos para 2005. A passeata começou em frente da Prefeitura, passou pelo Teatro Municipal e acabou no plenário da Câmara dos Vereadores, onde cantaram o Aleluia de Handel e receberam a promessa, por parte da Secretaria de Cultura, de que os salários serão depositados até sexta-feira.?Fomos enganados?, explicou Hugo Ksenhuk, presidente da Associação dos Músicos da Sinfônica Municipal. ?Em novembro, quando também não recebemos os salários, ameaçamos cancelar a ópera Lohengrin mas voltamos atrás quando nos foi prometido o pagamento. Fizemos nossa parte, trabalhamos, terminamos a temporada e nos foi informado pela coordenadoria dos Corpos Estáveis do Municipal que não haveria dinheiro para os salários de dezembro.?Com contratos de prestadores de serviço, os artistas têm com o teatro um acordo verbal segundo o qual o pagamento é feito entre os dias 15 e 20 de cada mês. Mas a secretaria informa que, de acordo com a lei, o pagamento pode ser feito até o dia 30 e que, em nenhum momento, teria faltado o dinheiro para os salários. Mas os músicos pediram ainda a renovação dos contratos para 2005. Segundo Ksenhuk, a própria assessoria jurídica do Municipal considera os contratos atuais ilegais. ?Mas simplesmente não renová-los e acabar com os corpos estáveis do teatro não pode ser uma opção?, diz o músico. Segundo a secretaria, a renovação ou não dos contratos só pode ser feita pela nova gestão.No passeio pelo centro, os músicos cantaram desde trechos de ópera até a canção-tema do filme Titanic, e leram um manifesto enviado ao presidente da República. Por volta das 14 horas, as portas do Palácio do Anhangabaú foram fechadas e, mais tarde, a polícia foi chamada para conduzi-los até o teatro. No plenário da Câmara, cantaram o Aleluia> de Handel, ganharam aplausos e uma brincadeira do vereador Wadih Mutran. ?Eu vou falar para a Marta não pagar os salários, assim vocês podem vir cantar aqui todo o dia. Gostei da música, só não gostei da faixa que vocês trouxeram.? Alguns músicos ensaiaram uma vaia mas a maioria ficou simplesmente sem reação.

Agencia Estado,

21 de dezembro de 2004 | 20h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.