Silvana Garzaro
Silvana Garzaro

Artistas e jornalistas lamentam a morte de Artur Xexéo

O jornalista e escritor Artur Xexéo morreu no domingo, aos 69 anos

Redação, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2021 | 09h34

A morte de Artur Xexéo neste domingo, 27, aos 69 anos, surpreendeu amigos e colegas do jornalista, escritor, cronista, autor teatral e comentarista. Há duas semanas, Artur Xexéo foi diagnosticado com um linfoma não Hodgkin de células T e, na sexta-feira, 25, ele sofreu uma para cardíaca. Xexéo morreu na Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro.

Jornalista com passagens por veículos como Jornal do Brasil e O Globo, onde foi editor do Segundo Caderno, Xexéo publicou, ao longo de sua trajetória, obras como Janete Clair: A Usineira de Sonhos e Hebe, A Biografia, além do livro de crônicas O Torcedor Acidental.

Amigos, artistas, políticos e jornalistas lamentaram a morte de Artur Xexéo e prestaram homenagens ao profissional nas redes sociais.

O escritor Paulo Coelho postou, no Twitter: "Artur Xexéo, gente como você não morre nunca. Descansa um pouquinho e volta logo! Muitas saudades, grande amigo".

A atriz Patrícia Pillar escreveu, também no Twitter: "Muito triste por essa perda… Meu carinho a todos os familiares e amigos do nosso tão querido Xexéo".  Já Mônica Martelli postou: "Ácido, inteligente, bem humorado, necessário. Se vai mais uma grande mente do nosso país. Descanse, Artur Xexéo".


José de Abreu disse que, enquanto escrevia sua biografia, ficava pensando o que Xexéo acharia.

Juíza e escritora, autora de A Vida Não é Justa, Andréa Pachá também comentou a morte do jornalista. "Muito triste com esse Brasil que encolhe a cada despedida dessas", escreveu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.