Artistas apostam na revisão das regras de patrocínio

A classe artística está apostando no encontro que terá com o secretário de Comunicação de Governo (Secom), Luiz Gushiken, para derrubar os novos critérios de concessão de patrocínios a projetos culturais, e também para ver devolvido ao Ministério da Cultura (MinC) o comando das decisões importantes para o setor, que, atualmente, estão a cargo da Secom. A reunião será marcada pelo presidente do PT, José Genoino."Acredito que os canais de comunicação do governo estejam abertos. Tudo isso faz parte de um processo passível de ser reavalidado", disse a produtora Mariza Leão, que participou de reunião com Genoíno para discutir o assunto. "Dissemos que está havendo uma confusão. Cultura é uma questão de Estado e não tem nada a ver com promoção do governo. O governo é muito novo e, na área cultural, pode estar havendo um equívoco."Para hoje à noite, está marcado um encontro entre representantes do cinema, teatro e da música, na casa de Mariza, com o objetivo de discutir a questão e de acertar uma reunião maior da classe - cuja organização será da empresária Paula Lavigne, mulher do cantor Caetano Veloso. Além do casal, confirmaram presença no encontro de hoje os atores Marieta Severo, Marco Nanini, Hugo Carvana e José Wilker. A nova discussão deverá ser quarta ou quinta-feira, num teatro do Rio.Otimismo - O cineasta Zelito Viana, que também esteve com Genoíno levando as reivindicações dos artistas, está otimista. "Falamos com o Genoíno e ele compreendeu tudo, mas até agora não aconteceu nada. Mas, se formos recebidos, poderá ser diferente", disse Viana.Seu colega Cacá Diegues considerou a possibilidade de se reunir com o secretário Gushiken uma "notícia muito bem vinda." "Temos bom entendimento com o MinC e o que queremos é que a condução das políticas volte ao ministério e não seja mais feita por consultores leigos de outro setores do governo. Não só porque o MinC nasceu para isso mas também porque temos umministro tão qualificado como o Gil", afirmou Diegues.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.