Artista propõe uma experiência virtual

Ana Maria Tavares também finaliza sua tese de doutorado para a Escola de Comunicações e Artes da USP com uma exposição no Centro Universitário Maria Antonia. Estação II, que define como uma obra de ficção, propõe ao espectador que compartilhe de uma experiência virtual. A mostra que pode ser vista a partir desta terça é a quarta individual decorrrente de sua dissertação, Armadilha para os Sentidos.Sobre uma das paredes da galeria, Ana projeta um vídeo com imagens criadas a partir de uma análise da Praça Panamericana, em São Paulo. Com o apoio de sonorização e música eletrônica, a artista estabelece um ambiente virtual, em que o espectador participa como um passageiro de um local em movimento. O visitante passa a ser um personagem da ficção da artista, que utiliza a animação e esculturas metálicas como cenário de um passeio que começa em uma praça virtual."Mas que poderia ser outro espaço urbano qualquer, contanto que contivesse essa noção de passagem, de não lugar", observa ela. Em desdobramentos anteriores de sua tese, como Relax´O´Visions, individual que apresentou no Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), há dois anos, Ana Maria Tavares usou símbolos de estadia temporária como corrimãos, maçanetas e sofás de aeroportos. "A idéia do deslocamento, nesse caso, é desestabilizar as noções familiares."Essa desestabilização dos sentidos começa nas cenas artificiais que remetem à praça, para a artista, um local sem uso definido. "Tratam-se de 23 mil metros quadrados de área desperdiçada", acredita Ana, que propõe uma espécie de navegação pelo lugar. "Essa fase de minha tese trata do sujeito como navegador", justifica. Ela guardou para essa fase o trabalho com vídeo e som, o primeiro com animação de sua carreira. A artista diz que, apesar de amarrar o doutorado com essa quarta mostra, ela não fecha ou conclui a questão. "As individuais e mesmo as peças que mostrei em coletivas não servem para descrever o trabalho de forma cronológica", comenta ela, que apresentará sua tese no local da exposição, em agosto. Serviço - Ana Maria Tavares. Diariamente, das 9 às 21 horas. Centro Universitário Maria Antonia. Rua Maria Antônia, 294. Abertura amanhã, dia 13, às 20 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.