Artista plástico inicia performance nu na Bienal nesta terça

Durante 13 dias, Mauricio Ianês só irá vestir, comer e beber o que o público presente no evento lhe doar

Da Redação, com Agência Estado,

03 de novembro de 2008 | 16h05

A 28ª edição da Bienal de São Paulo, que acontece até 6 de dezembro, recebe a partir desta terça, 4, a performance do artista plástico Maurício Ianês, de 35 anos, que ficará nu durante 13 dias no saguão do evento. No trabalho, intitulado A Bondade de Estranhos, Ianês vai comer, beber ou vestir alguma coisa apenas se o público lhe der. "Durante 13 dias de Bienal, vou sobreviver apenas do que me for doado pelas pessoas", garante.  Veja também: 28ª Bienal de SP: além do vazio Bienal de SP começa a apagar as pichações de andar vazio Questionado sobre a relação de sua performance com o tema da Bienal, "Em Vivo Contato", Ianês diz que "tem tudo a ver". "O público vai interagir diretamente comigo, vou ser o resultado da interferência e da generosidade de quem for visitar o pavilhão", diz.  A princípio, Ianês vai dormir no chão. Sobre a alimentação, o artista afirma que a organização ficou com receio e chegou até a dizer que mandaria comida regularmente. "Sabe o que fiz? Pedi que assinassem um documento se comprometendo a não interferirem na performance. Vou estar por minha conta e risco". Além de performático, Ianês é artista plástico com obras expostas em Viena, Paris, Itália e outras cidades da Europa. No Brasil, ele também é conhecido como consultor de estilo e braço direito de Alexandre Herchcovitch. Outra performance de destaque na Bienal é a do espanhol Israel Galván, que fará apresentações de dança flamenca sem nenhum acompanhamento musical.

Tudo o que sabemos sobre:
Bienal de São PauloMauricio Ianês

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.