Artista mexicano bate recorde em leilão da Christie´s

O artista mexicano Alfredo Ramos Martínez saiu nesta quarta-feira da obscuridade para brilhar num leilão da casa Christie´s com um recorde mundial, de US$ 1,8 milhão, pela venda de sua obra "Mulheres com flores". Realizada em 1938, a pintura retrata duas vendedoras de flores em cores brilhantes. O preço é muito superior ao recorde anterior, que era de US$ 405,5 mil, e muito acima do valor esperado pela Christie´s, de US$ 350 a US$ 450 mil. "Esta pintura incorpora todas as características que o mercado procura: frescor, excelente qualidade e um grande mérito artístico", disse aos jornalistas Virgilio Garza, diretor do departamento latino-americano da Christie´s, ao fim do leilão. A pintura, de tema mexicano mas representado de maneira muito européia, com figuras estilizadas ao estilo "art déco", é "bela e honesta", e "pertence ao período mais raro do artista, o californiano", disse Garza. Na sua opinião, a obra de Martínez (1872-1946), que foi colecionada pela elite de Hollywood nos anos 40, está sendo redescoberta tanto no México quanto nos Estados Unidos. Pelo menos seis compradores disputaram a obra na sala de leilões. Houve um momento em que seu valor deu um salto espetacular, de US$ 210 mil a US$ 400 mil. A Christie´s arrecadou no total US$ 17,2 milhões pela venda de 57 dos 68 lotes oferecidos, ligeiramente acima do estimado para a noite, que era de US$ 16,6 milhões. "É um bom momento para o mercado da arte latino-americana. Os resultados refletem as forças que vêm conduzindo o mercado de arte nas últimas semanas", analisou Garza, lembrando os recordes obtidos nas recentes leilões de arte impressionista, moderna e Contemporânea. Outro astro da noite foi o artista colombiano Fernando Botero, com cinco das dez obras mais caras, inclusive o óleo sobre tela "Os amantes" (1969), uma cena íntima de uma mulher com seu pequeno acompanhante, que atingiu US$ 1 milhão. "Auto-retrato em fantasia de Velázquez" (1986), também chegou a US$ 1 milhão, muito acima da previsão de US$ 500 mil. "Botero é, definitivamente, um artista muito internacional", disse Garza. Ele acrescentou que o interesse pelo colombiano é grande na América do Sul, Europa e EUA, mas também na Índia e China. Botero tem o recorde em leilão para um artista latino-americano vivo, alcançado em maio com a venda de "Os Músicos" (1979), na Christie´s, por US$ 2,1 milhões.

Agencia Estado,

22 Novembro 2006 | 08h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.