Artista japonês usa glacê para falar de violência

Na instalação que o artista japonês Nobuo Mitsunashi exibe a partir de hoje em São Paulo, na Galeria Deco, a violência está camuflada, com glacê. Sobre uma imensa mesa de banquete, há esculturas feitas com glacê, assim como os objetos nas paredes que a rodeiam e na outra sala da galeria. Mas não são objetos comuns: são capacetes de guerra, granadas, máscaras de gás, balas de armas, bombas e munição para bazucas. Na exposição Chocolate, Raspberry and Whip Cream (Chocolate, Framboesa e Chantilly), o banquete foi montado para discutir violência e hipocrisia. No título dessa instalação inédita, Mitsunashi remete a três cores: o preto (chocolate), o vermelho (framboesa) e o branco (chantilly). "O preto simboliza os conservadores; o vermelho, os revolucionários; e o branco, a camuflagem", afirma o artista. Outro ponto importante dessa atual pesquisa de Mitsunashi é o uso da arte como algo comestível. Para realizar essa exposição, o artista trouxe consigo, do Japão, dois confeiteiros: o sr. Keisuke Tanabe e sua filha, Sawako Tanabe. Não que seja o caso de o espectador/visitante retirar as esculturas dispostas nas paredes para experimentar suas partes em glacê. Na verdade, além de o artista e seus assistentes terem trabalhado todos aqueles objetos com cobertura, foram criados doces em formatos estranhos, pontiagudos, que dialogam com as esculturas anteriores de Mitsunashi. Colocados em geladeiras, dentro do espaço expositivo, eles podem ser degustados (serão vendidos entre R$ 10 e R$ 15). "Quando fazia aquelas esculturas, elas pareciam eternas. Queria trazê-las para dentro de mim. Então, pensei em construí-las para comer", diz o artista. Ele trocou o eterno pelo perecível e aí está outra proposta de reflexão. Chocolate, Raspberry and Whip Cream - Galeria Deco, Rua dos Franceses, 153, tel.: 289-7067). Bela Vista. Das 10 às 19 horas. Grátis. Abre hoje, às 19 horas. Até 18/9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.