Artista dinamarquês tinge iceberg de vermelho

"Todos temos o desejo de decorar a Mãe Natureza, porque ela nos pertence." É o que acredita o artista dinamarquês Marco Evaristti, ao explicar uma inusitada criação sua, na costa oeste da Groenlândia. De posse de 3 mil litros de tinta, Evaristti tingiu de vermelho sangue um bloco de gelo de 900 metros quadrados.A mancha berrante se destaca brutalmente das geladas paisagens da Groenlândia, onde, naturalmente, imperam os tons de branco. A intervenção custou ao artista apenas duas horas, durante as quais enfrentou temperaturas de até -23 graus C. "Este é o meu iceberg. Ele me pertence", diz o artista, de sua base em Ilullissat - que quer dizer bloco de gelo em groenlandês, dialeto do esquimó.Ainda não se sabe que reação as autoridades locais tomarão a respeito da obra. Mas é notório seu empenho e rigor em proteger o meio ambiente de ações predatórias, tenham ou não pretensões artísticas.Não é a primeira vez que Evaristti chama atenção com sua arte extravagante. Há dois anos, ele expôs em uma galeria dinamarquesa uma série de peixinhos em liquidificadores que podiam ser acionados pelos espectadores - com conseqüente trituração e morte dos animais. Alguns visitantes chegaram a ligá-los, peixes morreram, e o diretor da galeria acabou sendo acusado de crueldade contra os animais. Mais tarde, o caso foi arquivado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.