Artista decepa dedo durante performance

O artista plástico francês Pierre Pinoncelli cortou fora a primeira falange do dedo mínimo de sua mão esquerda durante uma performance, sábado passado, no teatro do Museu de Arte Moderna de Cáli, na Colômbia. Segundo ele, tratou-se de um protesto contra o seqüestro da candidata presidencial Ingrid Betancourt pelos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).Pinoncelli, de 74 anos, disse ainda que a performance lhe permitiu deixar uma parte de seu corpo na Colômbia. A automutilação do artista ocorreu na sessão de encerramento do 5.º Festival Internacional de Performances de Cáli.Depois de cortar-se, Pinoncelli borrou uma parede com o sangue que jorrava de seu dedo. Previamente, ele havia escrito, com tinta preta, a sigla Farc na parede. "Quis envir às Farc uma mensagem, advertindo que qualquer um pode usar a violência, e até com maior intensidade que a guerrilha", disse. Pinoncelli, que anteriormente ficara famoso por causa de uma outra performance, durante a qual urinou na "Fonte" (na verdade, um urinol) de Marcel Duchamp, foi levado a um hospital em seguida, enquanto o público debatia sua atuação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.