Artista da Turquia abandona Bienal

A artista Ayse Erkmen, representante da Turquia na Bienal de São Paulo, abandonou ontem o evento, por não concordar com o lugar onde sua obra seria exposta. Ayse queria expor cerca de 40 faixas pintadas por moradores de uma favela de São Paulo dentro do Pavilhão Cicillo Matarazzo. As faixas, que traziam dizeres dos moradores da favela, foram instaladas em três locais diferentes do pavilhão. ?Sempre que tentávamos colocar as faixas em algum local, quatro ou cinco artistas pediam para tirar, eles acharam que as faixas poluíam o visual do ambiente?, disse Justine Otondo, da assessoria da Bienal. Na quarta tentativa, a curadoria pendurou as faixas ao lado de fora do prédio, mas a artista não aceitou e resolveu abandonar o evento. Ayse reclamou de discriminação social. Segundo ela, seu trabalho refletia os desejos de pessoas de classes menos favorecidas, e as dificuldades para expô-lo indicaria preconceito. Ayse Erkmen era a única representante de seu país e faria parte do módulo Representações Nacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.