Artista cria instalação usando 500 mil lápis de cera

Herb Williams é uma das únicas pessoas do mundo a ter conta pessoal com fabricante dos lápis.

BBC Brasil, BBC

06 de janeiro de 2010 | 09h48

O artista americano Herb Williams usou 500 mil lápis de cera Crayola para criar a instalação Plunderland, que está sendo exibida em uma galeria na cidade de Nova York.

A instalação, em cartaz na galeria Rare, usa os lápis para criar uma enorme videira por onde passam coelhos e outros animais, também feitos de Crayola.

Herb, que começou a usar os Crayolas em seus trabalhos há cinco anos, é uma das únicas pessoas do mundo que mantém uma conta pessoal com a empresa fabricante, e suas esculturas podem usar até centenas de milhares de lápis.

O artista recebe os lápis em caixas de cores individuais contendo três mil unidades cada, e corta os Crayolas para atingir o tamanho desejado.

Infância

Entre seus trabalhos estão animais e celebridades, muitos deles contendo até 250 mil Crayolas.

"Para a maioria dos adultos, a visão e o cheiro dos lápis de cera produzem memórias específicas da infância", diz ele.

"O desvio no caminho da nostalgia é a criação de um novo objeto, com um material que não havia sido feito para isso. Esse elemento de interação inesperada e a brincadeira me pegaram desde o começo."

Sobre a instalação Plunderland, Williams diz que o "aspecto tecnicolor e semelhante a um cabo da videira é definitivamente uma referência à era digital".

Segundo o artista, os animais e objetos criados usando apenas as pontas dos lápis têm um efeito pixelado que também é proposital.

Os coelhos brancos, por exemplo, representam "a odisséia humana que já foi deturpada".

"Em cada um deles falta alguma coisa, seja um pé da sorte, uma orelha ou um rabo", diz.

"Eu amo usar criaturas do reino animal para representar as lutas ou desejos humanos."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.