Artista britânico expõe obras inspiradas na guerra do Iraque

Gerald Laing retrata diferentes estágios do conflito: de Bagdá às denúncias de tortura em Abu Ghraib

BBC

01 Outubro 2007 | 10h41

A galeria Old Truman Brewery inaugurou em Londres a exposição Arte da Guerra, que traz pinturas do artista pop britânico Gerald Laing, inspiradas na guerra do Iraque.   A última série de trabalhos do artista retrata diferentes estágios do conflito, como a invasão de Bagdá, em 2003, e as denúncias de tortura na prisão de Abu Ghraib no ano seguinte.   Laing, que foi fuzileiro antes de ingressar numa escola de artes do início da década de 60, mudou-se para Nova York, onde conviveu com artistas como Andy Warhol. Em 1969, desiludido com a guerra do Vietnã, retornou para a Escócia, onde nos últimos 30 anos trabalhou como escultor.   Após dedicar-se durante anos a esculturas, Laing decidiu colocar a política no centro de sua obra. "É claro que a arte não pode mudar a política, mas pode agir como um lembrete eterno de ações infames. Quem se lembraria de Guernica se não fosse por Picasso?", indaga Gerald Laing.   "Eu espero que essas pinturas sobre o Iraque sejam um memorial permanente das recentes atrocidades. Se não registrarmos esses eventos, corremos o risco de repeti-los indefinidamente".   As pinturas reproduzem imagens que correram o mundo depois dos primeiros bombardeios na capital iraquiana e da divulgação de fotos que mostravam soldados americanos torturando e humilhando presos iraquianos em Abu Ghraib.

Mais conteúdo sobre:
Old Truman Brewery Londres Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.