Artista brasileira é finalista de prêmio britânico

A brasileira Flávia Müller Medeiros está entre os 13 artistas que disputam o Beck´s Futures, prêmio destinado a jovens artistas que vivem no Reino Unido e que dará 30 mil euros ao vencedor.Flávia, cuja obra explora como a linguagem influi na percepção da realidade, regravou o primeiro discurso do presidente George W. Bush usando um ator que lê o texto como um vendedor comercial acelerado."Sinto cinismo diante do conservadorismo norte-americano e (do presidente) Bush, cuja política é racista e regressiva. Mas, ao mesmo tempo, me interessa o quão poderoso e eficaz pode ser (seu discurso)", declara a artista, citada hoje pelo jornal The Independent.Entre os finalistas, também está o escocês Bedwyr Williams, que apresenta uma instalação chamada Caminha uma Milha com Meus Sapatos. O artista colocou, em prateleiras, 41 pares de sapatos e tênis com seus correspondentes rótulos e outros objetos.Outros artistas apresentam objetos reciclados, como a pilha de mil exemplares vista em Ulisses, de James Joyce. Cada palavra do texto original foi reordenada alfabeticamente junto a uma ferrovia de brinquedo.O prêmio Beck´s Futures foi criado em 1999 pela companhia de cerveja de mesmo nome e pelo Instituto de Arte Contemporâneo (ICA, na sigla em inglês), de Londres, com o objetivo de apoiar os artistas emergentes no Reino Unido.As obras finalistas, atualmente expostas na sede do ICA, serão exibidas posteriormente em outras cidades britânicas, como Bristol e Glasgow.Este ano, pela primeira vez, ao veredicto do júri, integrado por artistas famosos, como os irmãos Chapman e Martin Creed, será acrescentado o voto do público, via internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.