Artista alemão roda o mundo com estátuas de lixo

O artista alemão HA Schult está rodando o mundo com Trash People (Pessoas de Lixo, em tradução livre para o português), exposição de esculturas de lixo em forma de seres humanos. A exposição é um protesto contra a sociedade de consumo. As estátuas feitas de dejetos comuns como latas e embalagens de plástico já estiveram em Colônia, Paris e Moscou, e também foram colocadas em frente às pirâmides do Egito e na grande muralha da China.Mil esculturas estão atualmente na Piazza del Popolo em Roma, onde ficam até o fim do mês. Depois seguem para Barcelona e Nova York.Com a instalação, chamada de "arqueologia do presente", o artista alemão HA Schult quer exprimir seu protesto contra o consumismo da sociedade atual.Lixo e política "Logo, logo as esculturas serão mais famosas que qualquer outro alemão", disse Schult na inauguração da exposição ao ar livre em Roma."O lixo é mais forte que a política", acrescentou. No ano passado cerca de um milhão de pessoas viram as estátuas de lixo em Colônia, a cidade natal de Schult. As "pessoas de lixo" têm 1,78 metro de altura e parecem um exército sombrio e tenebroso. "Hoje em dia, tudo pode ser transformado em arte", diz o artista alemão de 67 anos. Depois de apresentar as esculturas nos Estados Unidos, HA Schult vai realizar um sonho e levá-las para a Antártida, como protesto pelo lixo deixado pela civilização no continente branco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.