Artesã expõe bonecas de cerâmica no Rio

Izabel Mendes da Cunha, artesã da terceira geração de ceramistas em sua família, desde pequena costumava fabricar potes, travessas e outras peças no semiárido mineiro. Certa vez, ainda criança, a garota que fazia as próprias bonecas com sabugo de milho viu a mãe moldando uma moringa no barro, e percebeu ali a forma de um corpo. Teve uma ideia. A partir daquele instante, faria da cerâmica a matéria-prima para suas brincadeiras. Dona Izabel cresceu, aperfeiçoou suas criações, e se transformou numa das principais representantes da arte popular brasileira.

AE, Agência Estado

24 de abril de 2013 | 10h49

As bonecas de cerâmica são a marca registrada da artista que é considerada a responsável por promover uma transformação na economia do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, e que hoje, aos 88 anos, continua em atividade e mantendo seu legado na figura das filhas e outros discípulos. Algumas das peças de Dona Izabel estão em exposição na Galeria Pé de Boi, em Laranjeiras, na mostra Mestres da Arte Popular.

A exibição reúne cerca de 120 peças de artesãos do agreste, a maioria à venda, e outras que compõem o acervo da galeria e só foram vistas anteriormente em exposições como a Mostra Comemorativa dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil, em São Paulo, e a Brasil Corpo e Alma, realizada no Museu Guggenheim, em Nova York.

Ana Maria Chindler, proprietária da Pé de Boi, há 28 anos garimpa esses achados em suas incursões pelo Norte de Minas e o Nordeste. Ela destaca, entre as criações, peças de Zé do Chalé, descendente dos índios xocós que começou a produzir depois dos 80 anos; Nino, um mendigo de Juazeiro do Norte, no Ceará, cujas obras, esculpidas em pedaços de madeira, receberam elogios do escultor norte-americano Richard Serra; e Manuel Eudócio, contemporâneo de Mestre Vitalino.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
visuaisMestres da Arte Popular

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.