Arte/Cidade faz seminário sobre planejamento urbano

Seguindo a linha de repensar o espaço urbano através da arte, o 4.º Arte/Cidade realiza o encontro SP Laboratório Urbano, que vai reunir dez urbanistas, artistas plásticos e curadores no Sesc Belenzinho entre esta quarta-feira e a sexta-feira, a partir das 19 horas, no próprio Sesc Belenzinho. A curadoria do evento é de Nelson Brissac, que assina o Artecidadezonaleste, em cartaz desde 16 de março no Sesc Belenzinho e em instalações espalhadas pela zona leste. O objetivo do encontro, segundo Brissac, é discutir novas formas de ocupar o espaço das metrópoles, usando a arte como fator de integração para a sociedade. Na prática, o seminário, que será acompanhado de um workshop responsável por elaborar propostas para a cidade de São Paulo, é o contraponto do Arte/Cidade. Se, no evento do Sesc Belenzinho, a cidade é palco para a arte, no seminário ?a idéia é de que a arte pode revelar o potencial da cidade, através de abordagens não convencionais?, diz o curador. Para isso, Brissac convidou pessoas de trajetórias diferentes. Metade dos debatedores virá de fora do País. É o caso de Stefano Boeri, arquiteto italiano que estuda as cidades européias depois da integração do continente. ?Ele faz parte de um grupo internacional de pessoas que articulam um modelo de planejamento urbano feito por moradores, sindicatos e outros agentes, diferente do modelo em que o Estado fazia tudo sozinho?, afirma Brissac. Além de Boeri, o SP Laboratório Urbano contará com representantes do México, Holanda, Suíça e Bélgica. Mas são as questões das metrópoles brasileiras, como os camelôs, que mais preocupam o curador. Para ele, a informalidade não é motivo para marginalização. O seminário que começa amanhã tem a intenção de propor critérios mais flexíveis ao poder público para tratar de casos como o comércio informal de rua. O tema está em sintonia fina com o Arte/Cidade, que tem três intervenções baseadas nas barracas dos camelôs. Cada vez mais, as cidades são objeto da preocupação de artistas plásticos e curadores. Além do 4.º Arte/Cidade, a iconografia urbana é o tema da 25ª Bienal Internacional de São Paulo. No Rio de Janeiro, uma exposição de artistas contemporâneos foi inaugurada há poucos dias num motel da Lapa, referência da noite carioca na zona central da cidade. O seminário SP Laboratório Urbano também terá a participação de empresas e ONGs brasileiras responsáveis por planejamento urbano e projetos culturais relacionados à cidade. As inscrições podem ser feitas pelo telefone 0800-771-1132, entre 10h e 18h, ou no próprio Sesc Belenzinho (Av. Álvaro Ramos, 991). As palestras começam às 19h00. O preço para os três dias de seminário é R$ 30 (há opção de compra a R$ 10 por palestra).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.