Arte jovem e mestres contemporâneos no CCSP

O Centro Cultural São Paulo (CCSP) realiza hoje uma tripla inauguração. A oferta é variada, capaz de atrair os mais diferentes públicos, com eventos que vão da sedutora mostra de ikebana, que ocorre todos os anos na instituição da Rua Vergueiro, ao espaço amplo dedicado à jovem produção artística. A grande atração da temporada, no entanto, são os artistas convidados do Programa Anual de Exposições, que encerra a temporada de 2004 com um trio de peso: Rosângela Rennó, Dudi Maia Rosa e Paulo Pasta. Em sintonia com o perfil da instituição, a mineira aproveitou o convite para testar uma idéia antiga: transferir diretamente para a parede (sem o auxílio de nenhum tipo de suporte) as retículas das imagens de sua série O Corpo da Alma. As fotos de base, oriundas de um dos vários arquivos de recortes de jornal mantidos por ela, mostram a mesma e recorrente cena de pessoas com retratos de familiares ou desaparecidos nas mãos. A versão original do trabalho - com impressões sobre placas de aço inox - também estarão sendo exibidas no CCSP. Os dois pintores, Maia Rosa e Pasta, dividem a grande sala de exposições ao fundo do terceiro andar, num estranho e curioso encontro. Enquanto as telas de Maia Rosa parecem gritar, com sua mistura de texturas, choques de cores, contrastes entre transparência e opacidade, a pintura de Paulo Pasta apenas sussurra, convidando o espectador a buscar a riqueza e sutileza de detalhes, que se revelam somente aos poucos. Também é forte o caráter experimental nas obras reunidas na mostra Ciclo, que excepcionalmente ocupa o segundo andar do CCSP. Trata-se da 50.ª exposição realizada pelo projeto cultural Linha Imaginária, uma criativa associação de criadores visuais de todo o mundo, que se uniram em busca de maior intercâmbio e visibilidade a seus trabalhos. Ao todo são 13 expositores, de origens diversas como Argentina, Portugal, Inglaterra e Berlim. Do Brasil há seis artistas. A diversidade de linguagens e poéticas também é grande, da delicada instalação com um objeto de vidro de Mônica Rubinho às interferências sonoras de Ross Leslie, produtor musical inglês que reside atualmente no País.Serviço: Mostra do Programa Anual de Exposições até 2004 (até 19/9), Ciclo Linha Imaginária (até 19/9) e Ikebana (até 15/8) - No Centro Cultural São Paulo. Rua Vergueiro, 1.000. Liberdade, 3277-3611, metrô Vergueiro. Das 10 às 20 horas (sábado e domingo, até às 18 horas; fecha segunda). Grátis. Abrem hoje, às 19 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.